Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

02
Set 09

Cala a voz e a boca que antes gritou
ensaia uma palavra, única talvez,
capaz de recriar o caminho
hoje sofrido, escondido,
que o homem violou.


A coragem que trazia logo se esgotou
entre alguma lua e algum outro sol,
pássaro solto, perdido, sem ninho,
procurava por um pouso tranquilo
quando a tempestate se formou.


Linhas mal traçadas pelas folhas do destino,
não falam de mim nem tampouco do amor,
e no silencio das horas, apenas a noite
e outra vez deito-me sobre a sombra
de um desenho que ainda assino.

publicado por SISTER às 16:16
tags:

27
Jan 09

Por onde anda a inocência?

Sei que ela existe, ou pelo menos existiu. Nem faz tanto tempo assim que a perdi. Não sei muito bem ao certo se morreu ou se partiu.

Lembro que a encontrava nos olhares das crianças que viviam, pensavam, brincavam e sonhavam como crianças. Nas brincadeiras de roda, pega-pega ou balança, no ouvir histórias pintando a vida com as cores da esperança, imaginando-se príncipes ou princesas no reino encantado do faz de conta que por sua conta fazia sonhar sonhos lindos de se contar.

Hoje a criança já não sonha mais os seus sonhos infantis, querem ser adultas e trazem consigo idéias juvenis.

Os jovens também carregavam a inocência. Conseguiam se olhar e olhar a vida, livres da violência e da malícia que aporta em tantas fases da vida...

O primeiro amor era antes de tudo inocente.

Trazia a descoberta do beijo que fazia vibrar com o  efeito que causava na gente.  

Havia a crença no amor "seja infinito” e não no "enquanto dure" , como nos canta o poeta em sua magnitude, pois os apaixonados puramente acreditavam, ser o amor  forte o suficiente para enfrentarem juntos a vida, que para além da  eternidade se estenderia.

Hoje, longe da inocência, assim como a criança, o jovem também se perdeu em descrenças. Já não sonha mais seus sonhos com tanta firmeza. Conscientes da chama que finda transformando o amor em cinzas, muitos se entregam ao lamento e a dor, esquecendo que o amor é flor que mesmo em morte, espalha sementes nas vidas dos fortes que buscam nele sua sorte.

E o jovem amadurece tornando-se adulto.

Houve um tempo em que o adulto também trazia em si a inocência, pois acreditava com veemência que para ser feliz bastava a vivência.

Não se importava com poderes desmedidos ou em ser pobre ou rico. O importante era o caráter e a honestidade. Caminhava sob a luz da verdade e confiava na justiça, que ao seu parecer, trazia a ordem como o sol trazia o dia.

E a inocência, sem medir esforços, lançava o seu brilho sobre todos os povos, crianças, adultos ou jovens dispostos; tinha seu ofício como um sacerdócio.

Hoje olho para o mundo na figura de um menino procurando a inocência que se perdeu no caminho.


 

 

publicado por SISTER às 07:32
tags:

19
Jan 09

 
Falar do tempo ou do que ainda não vivi,
sonhar novo novembro sem sombras,
ser eterna na memória que nasci
ou vagar no nada que assombra.
 
Duetar sentimentos partilhando a vida,
tanger as histórias que tão só escrevi,
ser a escolha e também a escolhida
na roda que gira mostrando o que vi.

Buscar pela paz nas correntes de um rio
e tornar ao fogo purificando a matriz,
rompante criatura em navalha ao fio
advindo das cinzas em pueril aprendiz.

Esvaem-se as areias registrando minha hora,
desenham no horizonte colunas deformes,
entre luzes e sombras nada além do agora,
vida buscando paz na roda que gira uniforme.



 

publicado por SISTER às 07:29
tags:

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO