Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

05
Out 09

A Esperança e a Felicidade
São duas irmãs que andam juntinhas
Por vezes chamam a dona Saudade
e pelo meio do peito caminham

As três se juntam na rua do amor
trocam idéias, e fazem mil planos
entram em um coração sonhador
e lá dão asas ao que nós pensamos

A Esperança promove o desejo
A Felicidade acena adiante
Vem a Saudade de um certo beijo

E o coração, naquele instante
Já fica às três senhoras sujeito
À espera do amor, tão longe, distante.

publicado por SISTER às 17:24

31
Ago 09

      O espírito do mar ganha vida!
      Monstro feito de restos de naufrágios;
      Lixo lançado sem peso ou medida.
      Tom'a cidade cumprindo presságios.

      Invade as ruas na ira incontida
      Vem para cobrar enfim os pedágios
      Sobre a tribo do bem desprovida
      Cobra o preço com juros e ágios.

      Caminh'o totem, subindo a colina;
      Traz no seu rastro as ondas do mar;
      Inspira terror, a outros fascina

      Asas abertas , coordena os ventos,
      O povo foge pra outro lugar
      E colhe o plantio de pranto e lamentos.

publicado por SISTER às 12:38

10
Ago 09

      Senhor, atende agora esta prece
      que brota em versos, do meu coração
      Neste poema que é meio oração
      Tu que és o Pai que a tudo conhece.

      Tu sabes, Senhor, que pai é amparo,
      tem seus defeitos, também tem seus medos
      Guarda no peito também seus segredos
      Nem sempre o que diz, parece-nos claro.

      Mas sabes, porém, que ama os filhos,
      Por mais distante que possa estar
      Pisando as dores naquele lagar
      Vendo de longe , das crias o brilho

      Tu sabes senhor,  a falta que sentem
      daquel'abraço perdido no tempo
      Dor da saudade, do esquecimento,
      por mais que fingir-se de forte eles tentem

      Tu que ficaste de Cristo distante
      de longe olhando o seu crescimento
      sabes bem a dor e o contentamento
      que tocam a alma, dardos flamejantes

      Atende, ó Senhor, este meu pedido,
      envolve aos pais na luz do teu manto
      seca dos olhos o amargo pranto
      de quem se sente no mundo perdido.

      Dá-lhes a força pra sobreviver
      mesmo que faltem, no peito, pedaços
      e lhes advenha o triste cansaço
      de não ver os filhos, de perto crescer.

      Perdoa, Senhor, se frios parecem,
      Pra sobreviver precisam fingir!
      Quando su'alma parece ruir
      fingem que as dores sentidas esquecem.

      Levam tristezas, qual feixes de lenha
      sobre os lombos feridos de espinhos
      Mais do que nunca, se sentem sozinhos
      ante os portões sem saberem a senha.

      S'isto te peço, sabes o porquê:
      conheces a dor tal qual esses pais
      sabes dos riso e também dos ais
      que neste mundo, quase ninguém vê.

publicado por SISTER às 07:49

            A mão que eu seguro,
            Trêmula e inquieta,
            Já não obedece
            Às ordens da mente

            A mão que seguro,
            outrora de atleta,
            descanso merece,
            conforto somente

            A mão que seguro
            é a que me amparou
            nos primeiros passos
            ao longo da vida

            A mão que seguro
            por anos lutou
            vencendo percalços
            curando feridas

            A mão que seguro
            seus passos guiando
            no trôpego andar
            de cai e não cai

            A mão que seguro
            os passos contando
            - Assim devagar -
            É a mão do meu pai.


          

publicado por SISTER às 07:48

08
Ago 09

      - Nas areias tão quentes do deserto
      Tu és a rosa qu'enfeita a paisagem
      Entre as agruras da cruel estiagem
      Oásis tu és, sob o céu aberto.

      - Vinde, ó senhor, tu que andas tão perto,
      Brind'o meu corpo com tua passagem
      Rega-me o caule e dá-me a coragem
      D'ir adiante num tempo incerto

      - Ouve-me, ó rosa, o que agora'eu te digo
      Deixa-me ser a água nutriente
      Faz dos meus braços teu terno abrigo

      -Quisera, senhor, poder ir agora,
      Ter aos teus braços, alegre e contente
      Viver est' amor que minh'alma implora.

publicado por SISTER às 13:24

11
Jul 09

      O amor é um ser indefinido
      Um homúnculo que cresce no peito
      Se instalando de modo perfeito
      Cegando os olhos, tapando os ouvidos

      O amor não pode ser nunca contido
      Alastra-se no coração desfeito
      Espalha-se no corpo do sujeito
      E se apodera dos outros sentidos

      Amor se sente e pouco se explica
      Surdo aos apelos da dona razão
      Inexplicável, eterno ele fica

      Pobres poetas, que fazem então?
      Criam imagens em laços de fita
      E embalam nelas a sua paixão

publicado por SISTER às 08:41

10
Jul 09

Pés descalços sobre a terra macia

Pele alva de exposta suavidade

Doce contraste com o arrebol



Bela campesina de doce magia

Diferente as mulheres da cidade

Mulher lua a brilhar como o sol



Ah, minha doce campesina

No teu colo de amor perfumado

Queria agora repousar minha face



Quando a lua ao céu já ilumina

Sinto-te aqui serena ao meu lado

Como se a roda do tempo voltasse.

publicado por SISTER às 19:29

08
Jul 09

      Veste-me,  ó alma, d'encanto e magia
      Despe-me as dores ao som dos flautins
      Afasta de mim a vil nostalgia
      Valei-m' os anjos e os serafins!

      Tu, ó minh'alma, que doida agias,
      Entre as trevas das noites sem fim
      Vem, resplandece! E esta afagia
      Leva pra longe, bem longe, de mim

      Desperta , ó amor, levanta a bandeira
      Sobre a torre mais  forte, além
      Traze-me a dama mais bela e faceira

      Vestida de luz, em finos brocados
      Que os querubins entoem amén
      Quando a virem , enfim , ao meu lado

publicado por SISTER às 08:54

05
Jul 09

      Lá vai o homem, de dentro do homem
      Esgueira-se buscando a liberdade
      Foge das dores que à alma consomem
      Parte em busca da sua verdade

      Pisca o homem, de fora do homem
      Fingindo sonhar na mais tenra idade
      Sonha os sonhos  que no tempo somem
      Vê-se a fugir da geral realidade.

      Passos pequenos em grandes espaços
      São grandes passos ao longo da vida
      Passos silentes matendo o compasso

      Anda o homem por sobre a terra
      No palco é ator  da peça vivida
      Que em seu peito agora se encerra.

publicado por SISTER às 15:02

28
Jun 09

Sonetos são mais que catorze versos
Metros perfeitos, guardando-se as rimas
São os sonetos poemas complexos
Espadas de pau não fazem esgrima

Pode-se julgar que são controversos
E até não serem todos obras primas
Mas lhes confesso que fico perplexo
Quando aos sonetos alguém subestima

Criam monstrengos sem eira e nem beira
Atiram ao lixo as regras vitais
E dizem fazer só por brincadeira

Como pixassem augustos vitrais
Nada estudam, pra não ter canseira
Podem ser tudo, sonetos jamais

publicado por SISTER às 10:23

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO