Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

05
Abr 11

                                Passeio o meu outono
                                na primavera de tua vida,
                                sensível às nuanças de cheiros,
                                claridades, cores e sabores,
                                a ressumbrar das flores
                                que enfeitam teu viver.


                                Inspiro cheiro de rosas,
                                gerânios, flores-do-campo,
                                de açucenas e de lírios,
                                entregando-me ao delírio,
                                ao recolher restos
                                desabados no chão,
                                para tornar perfumados
                                passados amores,
                                de idos caminhos percorridos,
                                em felicidade, carinho e alegria,
                                e em miríades bem formosas.


                                Recolho pétalas de lembrança,
                                despencadas ao chão,
                                inertes fragmentos de flores,
                                relembranças de
                                idealizados amores,
                                irrealizados ramalhetes,
                                umedecidos em
                                furtivas lágrimas de emoção,
                                feito pedaços liquefeitos,
                                brotados em fonte
                                de inexprimível paixão.


                                Passeio o meu outono
                                através da tua primavera,
                                renovando-me também,
                                qual fênix sem vida,
                                morta e outra vez renascida,
                                infensa aos espinhos,
                                de dores e desatinos,
                                entregue tão só
                                a relembranças
                                do que restou.


                                Entre o meu outono
                                e a tua primavera,
                                glacial e quase-eterno,
                                insinuou-se o intruso inverno,
                                mas ainda há canteiros semeados,
                                também mortos e outra vez revividos,
                                para enfeitar de luz,
                                cheiros, flores, cores e ternos amores
                                o meu coração.

publicado por SISTER às 13:35

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO