Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

01
Fev 11

Leva o vento o meu beijo,
por entre mares e marés,
que livre seja o ensejo,
derramado a meus pés.

Por entre mares e marés,
norteando meus passos,
vai comigo quem tu és,
enlaçada em teus laços.

Enlaçada em teus laços,
de carmesim o vestido,
trazes flores nos braços,
em teu rosto contido.

De carmesim o vestido,
noites acesas no cabelo,
vens de coração despido,
para que eu possa vê-lo.

Para que eu possa vê-lo
e levar-te o beijo meu,
guarda-lo na mão, tê-lo,
como tudo que é só teu.


publicado por SISTER às 15:27

Cai a noite, de negrume é a
imensidão,
e as flores, inda abertas,
despertam meu coração.

Olho, como que pousada,
a lua emergente,
e o céu, indefinível clarão,
ilumina toda a gente.

Caem as estrelas sobre as
águas caladas,
e o rio acolhe, sem risco,
as pedrinhas estreladas.

Tudo isto a horizonte, que
a orla já calou,
misto de fantasia ou ilusão,
pedra que luzindo medrou.

Tudo o mais são sombras,
como que escoriando 
as paredes, e à luz da lua,
castelos vão lembrando.

Adormecem as pessoas,
que a lua vai nua,
dormem bichos e pobres,
ao calhas na rua.


publicado por SISTER às 15:26

Meus pensamentos, de pura
adrenalina,
são contigo e mais ninguém.

Sinto-me extasiado quando
chegas, lá
de longe, trazendo uma flor.

Segura-la na mão, em suave
toque,
eu bem saberei, cuidar dela.

Entregas-ma em mãos, frágil
flor, que eu vou
pôr num vaso, pra ela crescer.

Assim o sol a sustente, o amor
a proteja,
das agruras do vento da chuva

Orlada de flores enfeitando-te
o cabelo,
sobressai o sorriso encantador.

E eu como se a vida fosse nossa
levo-te a passear,
ilustres árvores e belos jardins.


publicado por SISTER às 15:26

Amo em segredo uma senhora,
despojo-me de todos os meus
bens, alcançá-la é o destino,
com que a sorte me prometeu.

Ante meus abraços ensejados,
teus braços esperam os meus,
assim sonho e até me convenço,
que o que é teu também é meu.

Raia o sol e o desejo que é meu,
na prematura manhã, olvidada,
quem dera que o beijo teu fosse

meu, realizando-se na madrugada.
Ah, senhora, de meus encantos,
não digas nada, e, amando, cala.


publicado por SISTER às 15:25

Bambinelas nas janelas,
chão com tapetes a adornar,
claustros acessos na noite,
pianos elevados, destro mar.

Cálice de vinho no plano;
do marfim a acentuação,
a solidez com que extravia,
a música saída do coração.

Flores posadas nas teclas,
alecrim e rosas coradas,
o artista que se enobrece,
nas pétalas desfolhadas.

Música a contraponto,
vozes que se enaltecem
e no ar se multiplicam,
raízes que não esquecem.

Vibra o piano, noite fora,
soltando notas, variações,
dedos amestrados,
libertando emoções.

Metamorfose consequente,
sublimando os tons,
representativos da tónica,
com que se recriam os sons.


publicado por SISTER às 15:24

Passa por mim, teu semblante,
cor de marfim,
e eu fico fascinado, vendo-te descer a rua.

Levas flores no cabelo, solto na cidade,
ao arrepio do vento,
que é mais uma brisa sedutora e aprazível.

Meu olhar, até te perder de vista, deixa de
te ver, no cortar
das esquinas, dos prédios aglomerados.

Inactivo mas com um sorriso nos lábios,
antecipo
a tua chegada, vinda de lá do fim da rua.

Enquanto isso vou sonhando contigo,
nos teus olhos
melífluos, no teu rosto, de nardos e jasmim.

Guardo o sol nas minhas mãos e seu brilho,
escapa-se-me
por entre os meus dedos, ansiando o teu toque.

Maravilhado vejo ao longe um pontinho, que
sobe a rua
tranquilamente, e minha ânsia se desnuda.

Vou ao seu encontro, de passo largo e segredos
nos bolsos,
que só a ela direi, dos meus ensejos e desejos.

Dou-lhe um beijo, apertado, e luzem seus olhos
de alegria,
e de mãos dadas caminhamos, de volta a casa.


publicado por SISTER às 15:23

Norteia-me o amor, pura beleza,
que me traz encanto à vida,
vem como que de surpresa,
que da palavra, contida, é a lida.

Como a chama mantém-se acesa,
esta paixão que quer guarida,
pois caminha em total certeza,
assim a vida, que me é querida.

Logro alcançar, a meu respeito,
a consideração que te é devida,
liberdade que assoma teu peito.

Amar-te, como a mais ninguém,
é o meu ensejo, mister da vida,
que procura o amor de alguém.

publicado por SISTER às 14:56

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO