Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

01
Nov 10

Sou cigana... cigana nasci...
Meu sangue é doce e quente,
Trago a dança sensual nas veias,
Sou orgia, ternura, paixão ardente...

O amor é meu farol, meu rumo,
Desatino, perdição, obstinação...
Trago um perfume que embriaga,
Arrelio teu coração na canção....

Sou desafio, sou gostoso mistério,
Sou geleira, fogueira, teu fino licor...
Danço e o mundo comigo gira, gira...
Rodopio... provoco calafrio... tremor...

Nasci cigana... teimosa... guerreira....
Trago o feitiço no olhar, nas entranhas,
Sou tua dona, tenho do amor a posse...
Sei da minha força e das tuas manhas...

Sou a magia que encanta, te envolve...
Sou furacão violento, êxtase, calmaria,
Protegida por Hiago... Igor e Vênus...
Loucura, audácia, paixão e valentia ...

Não sou conquistada... conquisto...
Não sou cortejada, cortejo, barganho...
Meu olhar queima, minha boca assanha,
Quero... envolvo... eletrizo e ganho!...

Ah cigano... - Acabou o teu reinado!...
Tua vontade própria, tua dona sou eu!...
Meus braços, meu corpo, são o teu refugio,
Agora é tarde... -Teu amor é todo meu!...


publicado por SISTER às 13:49

Por mim, eu estaria a teu lado agora,
Dando matizes lindos a nosso amor.
Tu no teu papel de mulher e senhora
E eu, afinal, teu homem e protetor.

Quero, sob o mesmo teto, no aconchego,
Que desfrutemos, "in loco", do ombro amigo;
Da ansiedade atual convertida em sossego;
Da realização cabal de um sonho antigo...

Espera-me! Somos reféns da distância.
São provações que a sina nos reservou...
Quiçá possamos ter, ainda em abundância,
O que até hoje o fadário nos negou.

Vives diuturnamente em meu pensamento
Mas quero fazer-te viver em meus braços.
Espera-me! Que eu também já não aguento
Toda esta distância com seus embaraços.

Espera-me!... Que nosso amor prevaleça!
Coloca nossos fluidos em comunhão...
Como vou tirar-te de minha cabeça
Se, pelos Céus, não me sais do coração?!


publicado por SISTER às 13:48

Qué misterio de atracción tiene tu boca

Imantados labios de miel que me provoca

El deseo sediento la vigilia por abstinencia

Revuelcos de insomnio y el sueño en resistencia



Es este amor trasnochador tan inquieto

Que suele hablar con la luna en secreto

Cuenta entre luminarias la pasión de sus latidos

Donde reinan ávidos tus besos adormecidos



Con él se iluminan luciérnagas repentinas

Los genios salen a cumplir con sus rutinas

La noche se vuelve mágica y contemplativa

Las horas pasan con tu imagen en retentiva



Atributo místico de tus ojos alumbran el sendero

Deambulando retenerlos en aparición genero

Romántica música con acordes de bolero motivada

Y tu sombra por mi cuerpo solícita en roce deslizada



Trasnoche de insomnio deliberado a tu lado

Por un hueco de la noche el horizonte azulado

Se destiñe entre luces doradas mientras amaneciendo

Pensando en ti el cansancio me va lentamente venciendo



publicado por SISTER às 13:46

Uma imagem de mulher está presente, sempre,
mesmo que ela distante e até mesmo inexistente,
mas em idealização vívida, como se de fato vivesse.

Sem mulher a vida não anda, nem poderia funcionar,
sendo ela fonte de vida, início, meio e fim.
Tudo em uma mulher é lindo, principalmente o ato
de harmonizar a dualidade SANTA/MULHER
em um Corpo ardendo em desejo.

Mulher é predestinada ao lindo e é pena que o caminho muitas
vezes seja obstaculizado por quem não quer entender de mulher.
Como entender a mulher como bem maior? Tudo simples:
com atenção, ternura, compreensão, encontrando
a mais plena reciprocidade, e profundo respeito.
Sendo que, o respeito tem que ser entendido
em cada momento e espaço. Ou seja, no momento certo.

Tem momento que a mulher quer soltura
em sua mais despudorada vontade. Uma fêmea que
entende como respeito, o estímulo ao seu corpo,
fazendo tudo que ele goste pra gozar,
naquele gozo que vai da terra até ao céu.

O gozo da mulher é um ideal,
nobreza que traz paz, amor e evolução.

publicado por SISTER às 13:45

O olhar diz, e como...
È preciso olhar com o tempo de ver.
Olhar, não é somente um mero ato,
é exercício de contemplação e amor.
Temos paz, sossego, amor, no ato de ver.
Olhe vendo de verdade
e o mundo apresenta belezas.
É o rio que anda, as borboletas que dançam,
e as flores que fazem amor...
Tudo ai bem gratuito, basta o ato de ver.
Glória meu Deus, tu que me deixa ver!
Em vendo, verdadeiramente, se toca com graça,
e o corpo da mulher amada explode em desejo.
Explosão que reuni energia: no ato de lançar,
recarrega-se, ânimo sempre novo...
Desejo Santo e obsceno, desejo amor.
Interações dos namorados no ato de ver.
Só se conhece, em essência, quem se olha,
cuidadosamente, e de imediato, estamos perante
a mais linda Rosa, um amor bem precioso.
Olhe com os olhos de vê, e dai o amor chega,
e com ele atração, alegria, beleza, suave calor.

publicado por SISTER às 13:43

Cresci longe dos erros dos outros
Distante dos exércitos das ruas
Sai da frente de quem tinha pressa
E tudo o que desejava ainda é espanto

Tropeços/quedas/tombos
Grandes derrotas/pequenas vitórias
Tudo na mão e nada no bolso
O que fere pode ser ferido

Alma marcada/indiferença
Olhos distantes da salvação
A sentença é um papel
Debaixo das palavras/pensamentos

Na loucura dos momentos de amor
As promessas ecoam vazias
O tempo enterra toda esperança

O que peço/custa pouco
Uma voz de trovão e um coração de menino
Para cantar para o mundo


publicado por SISTER às 13:40

Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19

23
24
26

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO