Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

22
Mai 10

Você já sentiu medo alguma vez, na vida?



É comum ouvirmos as pessoas confessando o sentimento de algum tipo de medo.
Seja medo de ficar só, medo da morte, medo da solidão e outros mais.



Dentre as várias nuanças do medo, vamos destacar o medo da solidão, que é
muito comum na sociedade hodierna.



Diz um grande pensador, que "a solidão do homem da metrópole não é a solidão
que o rodeia, mas a solidão que o habita."



Há pessoas que se sentem sós mesmo estando rodeadas de gente. Por essa
razão, percebemos que o problema não é externo, mas da intimidade do ser.



E por que é que se sente só, mesmo não se estando a sós?



Talvez a solidão se instale na alma porque encontre nela um vazio propício a
agasalhá-la. Se não houvesse espaço, é bem possível que ela ali não fizesse
morada.



Mas, afinal, como é que podemos preencher esse vazio e espantar a solidão?



A fórmula é bem simples. É tão simples que talvez por isso mesmo ninguém
acredite na sua eficácia.



Há quase dois milênios ouvimos falar dela, portanto não se trata de nenhuma
descoberta recente.



Estamos falando da caridade, como a prescreveu Jesus.



Se abandonássemos o nosso estreito mundo, e buscássemos o contato com nossos
irmãos carentes e infelizes, por certo preencheríamos o vazio em nossa
intimidade, de tal forma, que a solidão não encontraria ali espaço para se
acomodar, embora tentasse.



E isso acontece de forma tão natural que, ao nos envolvermos com os
sofrimentos alheios, tentando aliviá-los, esquecemos de nós mesmos e isso
causa uma satisfação muito salutar.



Quem ainda não experimentou essa terapia, tente.



Vale a pena! E não custa nada, a não ser o investimento da vontade firme e
da disposição de vencer a solidão.



E nesse caso, o campo é muito vasto. É fácil encontrar alguém que precise de
você.



Seja um doente solitário num hospital, uma criança num orfanato, uma pessoa
idosa abandonada pela família, uma mãe que precise de ajuda para cuidar dos
filhos, um pai desesperado com os filhos cuja mãe faleceu, um estômago vazio
para saciar, um corpo tiritando de frio para agasalhar, e assim por
diante...



Não é outra a razão pela qual Jesus recomendou o amor ao próximo como
condição para quem deseja conquistar o reino dos céus que, como Ele mesmo
afirmou, está dentro de cada um de nós.



Pense nisso!



Se você está triste porque perdeu seu amor, lembre-se que há tantos que não
têm um amor para perder.



Se você está triste porque ninguém o ama, lembre-se que o amor é para ser
ofertado e não para ser exigido.



Se para você a vida não tem sentido, oferte-a a alguém, dedicando-se aos
infelizes que lutam por um minuto a mais de existência física.



E se lhe faltam as forças necessárias para lutar contra a solidão, abra o
seu coração ao Divino Pastor e peça-Lhe para que o ajude nessa empreitada.



Lembre-se sempre que foi o próprio Cristo que assegurou: "aquele que vier a
mim, de forma alguma eu lançarei fora."



publicado por SISTER às 11:05

Hace mucho caminas a mi lado,
me tomas del brazo, recuestas
sobre mi hombro tu cabeza.

Te veo junto a mi cada mañana.
En mi cama, al abrir los ojos
y  receptar la luz
de lo que nuevamente empieza.

Eres mi amante inseparable.
Me acompañas de noche y  en mis sueños.
Me abrazas con fuerzas pasionales,
en la lujuria del  desvelo interminable.

Me besas, me acaricias y no cesas.
No te detienes un segundo.
Cada vez que pareces terminar:
recién empiezas.

¡Tristeza.!
¡Tristeza.!
De tanto estar conmigo en desencuentros,
te llamo compañera.
Reposas en mi alma como estigma,
que sangra cada noche
en sus quimeras.

¡Me permites soñar!.
Luego.
Luego me muestras
la realidad fugaz de frío abyecto.
Toma tu helada mano de la mía
y me conduce  por iguales sendas:
¡Decepción.!,
¡Dolor.!,
¡Soledad.!,
¡Siempre la espera.!.

No puedo reprocharte de traiciones.
¡Has sido siempre fiel, mi compañera!.

De esa:  "tu matriz de angustia" cada día,
veo renuevos de esplendor  pujante,
que ensombrecen mi vida hasta el cansancio.
Caminas a mi lado cual mi sombra
y proyectas tus saetas hasta el alma.
Has puesto en el sangrante cofre de mi pecho,
tu dardo de inquina lacerante.

Besan tus labios mis manos con dulzura,
recuperando la confianza que perdieras.
Pero a poco de ver, siento que mientes.
Que la ilusión del beso que me entregas,
se vuelve lágrima oscura de repente.

Son tus armas traidoras las que logran
llevarme más allá del inconsciente:
¡Ilusión.!
¡Irrealidad.!,
¡Sueños.!,
¡Proyectos.!,
Todos ellos en tus manos fueron muertos.

¡Ay mi vieja amante y compañera.!
De tanto estar contigo,
-a veces pienso-,
que no sabría que hacer si te perdiera.
De tanto estar unidos se me olvidan,
las infinitas veces que besaste,
mi sístole y mi diástole en promesas.

¡Mis amigos queridos que partieron.!
¡El último beso que despidió a mi madre!
¡El perder el Amor de mis albores!
¡Y el adiós de una hija, por un padre.!

En fin.
dirás con tu cruel indiferencia,
que no son más que cosas de la vida.
No te reprocho nada,
ya te he dicho,
que de tanto estar contigo no sabría,
que hacer si te marcharas.

Hoy nuevamente he sentido
tu mano acariciarme.
Una lágrima de sangre se ha caído
de un corazón errante.
Se marchitó en silencio una rosa,
¡blanca.muy blanca.!
tan sólo en un  instante.

¡Se ha muerto otra ilusión.!
¡Besa mis labios con
pasión de fuego
mi vieja y fiel amante.!



publicado por SISTER às 10:48
tags:

Amores pargindo no tempo do sentir
de uma maneira diferente da real
Muitos levam esse viver
sempre na esperança de completar se,
andam caminhos sem rumos
vacilando , tateando o nada e o caos
e perdendo se a cada trilhar
e mais ainda em sua caminhada.
Nossa alma anseia sente o amor,
percebe na distância e clama pela chegada.
É um momento divino quando deparamos com
esse ser que trazemos dentro d'alma
e ao olhar nos perdemos em devaneios
e sensações inexplicáveis.
É uma interação total.
Uma sublimidade.
É o amor reencontrado.
Nosso ser expande se e o coração
chora de alegria.
Mas....
A vida com seus desencontros
entra para isolar o que era para ser Uno.
Difícil entender esses caminhos tortuosos
doloridos.
Assim vamos levando a vida alimentando
esse amor que encontra se no âmago.
Ele representa vida e esperança
que um dia nossa estrada tome um só rumo.
Mesmo sendo um amor que encontra se
dentro da alma e ninguém percebe.
Pois o silêncio pede silêncio.
E a ilusão toma outro colorido,
mesclado rubro.
E nosso amor somente nós sabemos.
Mais ninguém.

É como essa música...
Nem as Paredes Confesso


publicado por SISTER às 10:47

Saudade que não me deixa
aplacar doída  queixa,
é tempo que não tem hora
permanece inconseqüente,
deixa coração dormente,
esquece de ir embora.

Da solidão é vizinha
cantam juntas ladainha
e no mesmo diapasão
mas, se uma bate surda
a outra faz-se de muda,
desconcertam coração.

A solidão eu despisto
rio o riso não previsto,
não me deixo deixar só,
a saudade é felina
não aceita disciplina,
dói só para  fazer dó.

Assim... eu mudo compasso,
a saudade eu abraço
e um tempo me alcança
de momentos bem vividos,
de prazeres convertidos
em rica e doce lembrança.

publicado por SISTER às 10:45
tags:

Fui arrastada no vento,
procurando de olhos vendados
os atalhos fechados.
O silencio doía , o medo nascia,
a saudade chorava,
a fé implorava, mas não sentia,
no ar o perfume da paz.
Perguntas sem resposta
nos caminhos cresciam,
sem perder a esperança.
Meu alento, ao relento passava,
encontrando, nos dias as noites,
caladas, por pensamentos mortais.
Nenhuma alegria explodia, em palavras,
Só meu coração sofrido pulsava,
pedindo ao teu amor,
Não deixe-me a sós!

publicado por SISTER às 10:44

Neste apeadeiro
de partidas
e de chegadas
ninguém é o primeiro
ninguém vai solteiro
nas lidas e idas.

O trem está sempre
pronto a partir
levando as almas
do moribundo crente
e mais o seu parente
na hora de ir.

Lá vai ele a apitar
lá vai o trem
para lá e para cá
a dominar
a paisagem e a viajar
lembrando alguém.

As almas se apertam
dentro do trem
e todos mostram o visto
que os ponteiros acertam
e mais se acercam
das outras também.

O comboio não cede
percorrendo os carris
o suor corre dos rostos
o que ninguém pede
e o ar já fede
temos de pôr os pontos nos is.

Há chegada ao céu
todos se apressam
a escolher o melhor caminho
e há um enorme escarcéu
porque ninguém leu
o que as tábuas expressam.

São Pedro sempre atencioso
chama as pessoas à razão
e pede calma aos moribundos
em tom generoso
franco e tinhoso
apelando ao coração.

Depois de mais uma jornada
todos sorriem da sua sorte
alguns se decepcionam
por ser esta a largada
tão esperada
pela senhora morte.

publicado por SISTER às 10:43

Neste apeadeiro
de partidas
e de chegadas
ninguém é o primeiro
ninguém vai solteiro
nas lidas e idas.

O trem está sempre
pronto a partir
levando as almas
do moribundo crente
e mais o seu parente
na hora de ir.

Lá vai ele a apitar
lá vai o trem
para lá e para cá
a dominar
a paisagem e a viajar
lembrando alguém.

As almas se apertam
dentro do trem
e todos mostram o visto
que os ponteiros acertam
e mais se acercam
das outras também.

O comboio não cede
percorrendo os carris
o suor corre dos rostos
o que ninguém pede
e o ar já fede
temos de pôr os pontos nos is.

Há chegada ao céu
todos se apressam
a escolher o melhor caminho
e há um enorme escarcéu
porque ninguém leu
o que as tábuas expressam.

São Pedro sempre atencioso
chama as pessoas à razão
e pede calma aos moribundos
em tom generoso
franco e tinhoso
apelando ao coração.

Depois de mais uma jornada
todos sorriem da sua sorte
alguns se decepcionam
por ser esta a largada
tão esperada
pela senhora morte.

publicado por SISTER às 10:43

Onde você está?
Logo a idéia me assalta
que de você sinto falta...
Fica a lembrança
que o coração balança...
Aquela recordação,
ainda causando essa quente emoção...
Não era amor,
pois não restou o calor...
Foi um forte desejo,
de sentir aquele beijo...
Uma quente paixão,
que ainda causa essa sensação...
Aquele desejo de "quero mais"...
Um desejo, nada mais...
Mas... que falta que sinto...
E tua presença apenas pressinto...



publicado por SISTER às 10:42

Tomo a noite por senhora companheira, sento-me na pedra frente ao oceano,



as estrelas despontam como se fossem pipocas a estourar, uma a uma...



Se fazendo em tal número, incapazes de serem contadas...



Como se quem as criou fosse uma fonte imensa de luz



capaz de colocar nos céus tal número delas que sempre seriam infinitas...







Sinto-me como vigiado uma sensação forte de que alguém toma conta de mim,



olhos dos lados, nada...A minha frente o mar, e o toque da brisa suave...



Esta sensação de vigilância, sempre se faz presente em meus dias



desde o instante que acordo para o labor, como no decorrer das horas,



até mesmo em meu descanso e durante, ele adentra os meus sonhos...



Como se um "olho" tomasse conta de tudo, segundo a segundo,



em vigilância de meus atos...







Um olho tão forte capaz de dominar a natureza, o som, o ar, o sol, a lua...



Em cada um de meus atos eu o sinto...



Quando dos acertos; olha-me de forma doce meiga,



E, quando tropeço em meus erros; o olhar torna-se áspero, profundo...



Adverte-me, mas me faz aprender mesmo entre dores profundas,



me aperfeiçoa a não cometer o mesmo erro...







Um olho tão magnífico capaz de vigiar a todo o globo terrestre.



observar os desmandos, marcar para sempre os perversos de coração e os de alma...



Um olhar de magistrado a proferir em cada momento as sentenças,



às vezes, para alguns derradeiras...



Um olho que esta ai, te vendo e dele não adianta correr ou esconder-se,



ao mesmo tempo em que ele te é luz, abrindo os caminhos entre trevas,



ele também te é mestre firme cobrando de você aprimoramento...







Um olho que esta vigilante sobre aqueles que se opõe ao amor,



aos invejosos, aos caluniadores, aos que se aproveitam da fraqueza humana



na tentativa sempre de galgar algo que não lhes pertence,



Seja um dom, seja o carisma, fontes intransferíveis...



Ou mesmo, o desejo de possuir o que material a outrem pertença...







Um olho que se fará presente no julgo dos falsos amigos,



Estes, marcados para sempre pela mediocridade de se fazerem passar por anjos



ou estrelas tentando esconder os demônios que realmente são...



Mas do olho não conseguem esconder certamente!







Este olho esta por ver o alimento jogado ao lixo da mesa farta,



Enquanto, logo a esquina, alguém morre por fome...



A traição, a mentira, os mal-feitores, os lares destruídos por outros amores,



Vidas destroçadas, sempre estará, este olho, a observar e ele não vai falhar!







Ah, este olho que tanto me foi doce e amigo em minhas dores!



Que me foi farol entre as trevas que a traição, a mentira,



a falsidade, tentaram colocar frente ao meu coração,



Este olhar que me fez e me faz sobreviver a cada ataque



daqueles que não aprenderam a viver daquilo que lhes pertença



E, como fracos necessitam sempre vir e tirar algo de mim...







Mas tem coisas que são intransferíveis...O dono do tal olho me deu,



como dá a cada um, seus próprios tesouros, estes são nossos!



Lindo teu olho meu Pai! Obrigado por estar sempre presente em minha existência,



Agora, volto ao meu lar...Lá, você certamente continua comigo...!







Te amo Pai meu único e Senhor absoluto,



Te amo Deus!

publicado por SISTER às 10:40

Saudade!

Passado vivido,

momento marcado,

que o hoje, pode admirar,

ilustrando a estória

que a memória 

ainda pode  lembrar. 

Instantes  presentes

que a vida  sempre reencontrará;

no encanto, na verdade,

que o tempo fotografado

saberá preservar entre  carinhos, 

guardados para no futuro  relembrar,

os sonhos, que no tempo vivido,

jamais serão esquecido,

e tem como a si espelhar.

Nos retratos,antigos,

que a saudade

vai buscar...

publicado por SISTER às 10:39

O amor não tem medida,
não tem rima, não tem cor;
amor, é a própria  vida, 


que a si imortaliza
no perfume, e no sabor.
Eternamente, vitorioso,
vence em qualquer dimensão,
flutua em qualquer tempo,
multiplica-se na emoção. 
Amor é sentimento, 
que brota como vapor;
tem um toque de saudade, na beleza de uma flor,
seu brilho vem das estrelas,
para eternamente encantar na terra, livre, canta, sempre a entoar 
a cantiga, infinita,
do universo  amar.

publicado por SISTER às 10:38

É... né meu amor, tô aqui, fazer o que?
É muito ruim, pra lá de besta estar longe de ti...
Aqui, sabe Severina,
as mulheres usam até um tal de sabonete íntimo...
Xi... que porqueira, não se sente cheiro de nada,
só de perfume. O que é bom fica fora do cheiro...

Ah... cabra safado como sempre...
tá fazendo saliência com outra, vou cortar Ele,
cabra safado, ordinário, canalha , indecente,
te pego, oh gente!
Como tu foste rápido assim?

Corta não Severina, Ele é o meu único patrimônio,
perdendo ele, vou sentir vida com o que?
Oh meu amor lindo e inteligente...
Corta não, que o prejuízo te alcança também...
O prejuízo é da gente.

Não divido com ninguém, ou Ele é todo meu
ou não será de mais ninguém...
Sou bondosa e divisora,
mas em se tratando Dele, quero todo,
agora, depois e para sempre...

Severina, minha Cabrita Santa e safada,
amo-te tanto que Ele só se entrega à outra,
se for bem solicitado e salvar um desejo derradeiro...
Salvar uma vida, minha linda, digamos assim...
uma vida que se perde se o desejo não for satisfeito...
Você sabe né, meu amor maior,
você não pode controlar tudo, ai é bem pior...
Deixe-me um pouco livre Severina!!!

Vou cortar você já confessou tudo...
Vou cortar e jogar lá nos quintos do inferno,
quero ver essa barangas safadas
da cidade grande encontrar.
Sou Severina ou não sou?
Cabra traidor e safado. Vou cortar!!!

Corta não Severina, já até sinto dor,
vem cá rápido, quero te amar de perto meu amor.
Explico-te tudo e você me absolve.
Se sempre me absolveu, temos uma jurisprudência
que diz: Severina sempre salva e absolve o seu amor..
Venha cá Severina,
venha logo, meu amor!!!


publicado por SISTER às 10:35

Deixar de amar, não, é o pior,

é o esvaziamento do ser.

O amor é feito de ternura, carinho,

e também de saudade que às vezes dói.

Fazer o que? Fugir do amor? Jamais!

Se existe dores ligadas ao amor,

existe também a única fonte de felicidade,

em amando o amor:

que é a fuga da solidão, é o caminhar de dois

no mesmo caminho, é o encontro de si mesmo,

através do outro.

Viva o amor.




publicado por SISTER às 10:32

Algo invisível em seu corpo que procuro com alegria,
tranqüilidade na busca, e também com desejo inquietante.
E ainda, uma vontade preguiçosa de caminhar
em teu corpo, eis que, o pleno já existe, e o complemento que busco é mágico e invisível por excelência.
Em ti o que busco está em estado latente, ainda por existir.
Por que busco, se tudo tenho em você?
Creio que seja pela busca alegre de ver-te sentindo delícias,
e o alimento dessa alegria e o gozo nesse processo de busca carinhosa, delicada, mas às vezes
em um ritmo meio louco e alucinado.
E quem determina os movimentos é o teu corpo, teu desejo...
Sinto nesse quadro uma busca divina, somente assim
se consegue ver e sentir o invisível...
É algo que está em você, não precisamente na epiderme ou subcutâneo, está onde ninguém vê... E eu quero ver e sentir...
Esse invisível que habita tua boca, teus seios, axilas, coxas, dedinhos, você toda...
E, em tuas entranhas,
explode o mais Santificado e pervertido desejo.


publicado por SISTER às 10:31

Fugir do amor com receio da dor é caretice.
Não existe vida sem amor.
Diz o contrário quem sofreu,
sem buscar novamente o amor.

Só se salva com amor.
Se não soube se recompor, sequer,
como viver sem amor?
Diga você sendo um triste ou alegre:
é bom viver sozinho, sem alguém coladinho?

Malandragem demais atrapalha, e até existe
quem advogue a tese do eu sozinho,
e que ser auto-suficiente é melhor. Bobagem!
Não existe vida sem dois no mesmo caminho.

No Brasil tem um mundo de gente
pregoando valores deformados.
Parece mais brasileiros com prazo de validade
vencido para o amor:
Para eles, o que importa é ter.
Ser e sentir nada consta.

E daí? Sei lá... Nem sei se disse o que queria dizer.
Desculpem se não deu certo!
Só sei que o bom mesmo é amar.


publicado por SISTER às 10:29

À tardinha, voltando do trabalho, tira o sapato
e caminha descalça com os pés sentindo a terra.
Não é um simples ato de chegar, muito mais do que isso,
é desfilar na vida.
Passando pela casa do Sr. Camilo, em uma breve pausa,
olha às Rosas no canteiro bem cuidado
e agradece a Deus por existir um bom jardineiro,
e tão lindas Flores.
Agradece tudo, é seu jeito de lidar com a vida:
se a terra estiver úmida que lindo!
Se está seca, ela se cuida evitando um resfriado.
A terra tem saúde e dores.
Com jeitinho carinhoso no convívio
com o céu a terra e o mar, exclama:
Oh, quanta beleza o céu agrupa, estrelas incontáveis!
Terra que é útero e ninho que faz germinar!
Mar carinhoso que molha com o seu jeito
úmido de receber o amor.
Mar igual à mulher, molha o membro que abriga.
Mulher é carinho através dos movimentos, e o mar também.
A mulher em movimentos lindos de toques,
se alegre e feliz.
O mar alegre refrigera o corpo e a alma,
revolto destrói com os choques das ondas.
Mulher feliz é sempre mulher.
Revoltada é imprevisível,
salve-se quem puder rss


publicado por SISTER às 10:28

Às vezes não digo tudo que você gosta de ouvir,
merece ouvir, eis que você sempre merece coisas lindas.
Algo como inércia, incapacidade de dizer, algo assim,
é o que resulta em omissão.
E assim estou sempre em dívida com você.
Mas, mesmo no silêncio,
você sabe o que eu quis e não soube dizer.
Amo-te, te mo, é o que sei dizer. Tento um pouco além,
amo a idéia de dizer, mas, tal o que,
não sai o que você merece de lindo.
E você é quem me confere sempre,
buscando saber o que sinto,
o que faço se estou bem...
Devo-te muito, mas o que fazer se não sei fazer?
Muitas vezes ainda sou garoto, ou talvez fútil, seja o termo...
Não é que eu queira ser assim, mas sou...
É como dizem, "pau que nasceu torto morre torto".
Sempre fui um tanto vadio,
desde bem menino gostava muito de mulher,
mas isso não é defeito, ou é?
O que fazer, se nasci assim?
Sei que devia mudar um pouco, ao menos,
mas o que adianta entender
se não consigo me determinar com o entendimento?
Nasci pra viver na rua e foi o que sempre fiz.
Assumi responsabilidade, mas não abandonei a noite,
minha boemia que foi minha razão de viver.
Mulher, só estou tentando dizer que te amo, te amo,
mesmo sem apresentar um certificado de conduta.
Sou teu, mas também sou da vida, é o que tenho a dizer.
Você mostra-me lindos caminhos e eu vou junto,
mas se tiver tentação, saia, calcinha de mulher, coisas assim...
Até pra mim já prometi mudar, mas mudar mesmo de todo,
não mudo nunca, e não é por que não quero....
Não liga não, por favor, deixe-me ser assim mesmo,
não dá para desentortar.
Ama-me, não me deixe, sem você, ai mesmo que vou piorar.
Tudo que você fez, e faz, vai por água abaixo, e ai até digo,
não somente por mim, mas também por tua obra,
ame-me assim mesmo é o jeito,
do contrário tudo se vai às águas sob a ponte.
Minha felicidade está em tuas mãos,
não posso viver sem mulher.
E talvez seja essa a minha insegurança, ter sempre mulher,
um socorro urgente se necessário, e a necessidade é constante,
preciso de você, mulher.
Tenha-me sempre no seu coração, e no teu corpo também,
gosto do gosto da tua alma,
mas o cheiro do teu corpo faz-me muito bem.
Dá-me tudo, você sabe.
Se você tem, não me dá por quê?
Não fica nada bem. Até distante, às vezes,
sinto-me sempre junto.
Afinal você sabe tudo que não consigo dizer,
mas se ainda há dúvida,
deixe-me dizer: amo-te Mulher.
Amo-te no meu amor de agora e no meu amor de sempre.


publicado por SISTER às 10:24

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
15

16
17
18
19
20

23
28
29



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO