Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

04
Ago 08

  Tens nessa tua fronte ó alma pura
                  Um estigma indelével da solidão...
                   Mas teu rosto revela tanta candura
                  Que desvanece a realidade da razão!


                  Dentro de ti existe um manancial
                  De amor, que teu coração pranteia
                  Por quem ao conceber teu ideal...
                  Comunga contigo a mesma ideia!


                  Fruis o colorido das flores campestres
                  Logras a frescura do orvalho matinal
                  Conténs o perfume dum lindo roseiral!


                  Nunca te sintas só, alma imaculada...
                  Pois sempre beberei do teu manancial
                  De amor!   Por mim, foste adotada!...

 

publicado por SISTER às 13:16

El amor es un sentimiento único
      en nuestro pecho igual se siente
      de la misma forma cualquier persona también siente
      hasta parece , que uno solamente siente, a través de nosotros

      interesante como es agasajante
      independientemente de la pareja de uno
      por quién o por algo se siente
      de forma una, casi igual, semejante

      es como si alguien nos usase y amase
      asociando, uniese parejas para que se amasen
      por ellos sintiese, a través de todos amase.
      Cuando se separan, se desesperan, sufren

      Olvidan y en otros amores se involucran
      y otra vez vuelve a amar, intensamente
      No de igual manera, pero similar.
      Es el amor virus...que contamina a todos

     

publicado por SISTER às 13:15
tags:

   Hoje...

                      soube de teus

                      desejos furtivos,

                      de tuas caricias ardentes,

                      de teu jeito de amar.

                      Hoje...

                      sponhando acordado

                      passei a noite imaginando

                      que teu amor me cativava,

                      que tuas mãos e

                      teus olhos me buscavam,

                      e temerosa...fui

                      queimar-me

                      entre tus chamas...

                      e esse desejo me impulsionava

                      e sentia que esta

                      paixão inconsciente

                      me embriagava, mas

                      despertei e tão

                      somente foi um falido

                      desejo de possuir-te.

                   

publicado por SISTER às 13:14

O grande dilema da mulher
Sua natureza exige o Parecer
Seu espirito deseja o Ser
Sua alma anseia pelo Parecer...

Com o conteudo do Ser...a perfeição
A Natureza busca aperfeição e a perpetuação
O Espirito se enleva na busca do coração
Mas em alma, corpo e espirito, quanta contradição

Mas o que é  o parecer
É a capacidade fisica de manter, de proteger
E o que pode ser o Ser
É a regra da boa conduta, da  moralidade

A capacidade de se doar, de amar
De somente o bem desejar
Mas como é tão dificil para a mulher conciliar
A busca da beleza total, para ser seu par

Do belo integro
Da alma gemea ansiada
É na vida  um fado
O verdadeiro amor... amar e ser amada


 

publicado por SISTER às 13:12
tags:

O que é este fascínio que me arrasa,
faz-me rolar na cama, me abala,
mexe comigo nas noites
enredando-se com os dias
numa atração sem limites?
O que tanto me hipnotiza...
serão teus olhos, talvez,
o tom de tua pele dourada,
tua voz rouca
como que entediada,
esse teu corpo que me acaba
quando sobre mim te arrastas
como mariposa atraída pela luz?
Serão tuas palavras
escolhidas e sussurradas
nas horas íntimas
que correm pelas noites enluaradas?
De onde virá o fascínio?
De teu suor que ao meu se mescla,
de tuas mãos que me tocam
de teu cheiro,
perfume que embota minha vontade
e me faz refém da tua
quando com ternura me abraças?
De onde virá esta ânsia que me consome,
pedindo-te com urgência
para que me domes?
De onde virá esta loucura que me atiça
ainda que por vontade própria...
me incita a desejar-te tanto?
Doce fascínio que toma de arrasto
meus sentidos
fazendo-me mulher-menina a satisfazer
nossas fantasias, em que os delírios
ultrapassam a insanidade? ...
Garras aguçadas buscando-te...
Sobre teu dorso deitando-me...
Embebedando-me em teu desejo,
busco deter esta atração ambígua
que me faz  tão ativa
ao saciar  teus desejos.
Diz-me se podes...
Onde te alimentas
para refazer em contínuo
sobre mim,
 este inegável fascínio?

publicado por SISTER às 13:10

Vagamos por mares encapelados em busca de paz.
Foram tantas as tristezas que tivemos em certos momentos.
As responsabilidades que assumimos diante das coisas da vida.
Tudo isso formou o ser que eu e você carregamos em nossa jornada.

Mas também ambos tivemos momentos de muita felicidade.
Sonhos materializados, anseios realizados, buscas definidas.
E a vida foi nos levando entre altos e baixos, forjando nosso interior.
E hoje, somos o conjunto de toda a nossa estória.

Duas almas, dois corações talvez um tanto cansados e calejados.
Duas buscas de reencontro do bem maior, o Amor de Eros.
E assim, numa janela de sonhos aberta para o mundo
nos encontramos numa tarde de suave brisa.

A partir daí, nossos olhares sempre se buscaram.
Nossas almas começaram o mais doce enlaçamento.
Nos corações plenos de emoção, um aquecimento de desejos.
Tivemos certezas, dúvidas, entendimentos e quimeras.

Às vezes me pergunto, se você é meu destino.
Se depois de tanto andar, encontrei uma estação segura
onde posso descer, sentar na mala e esperar
que você também desembarque no mesmo lugar.

Então poderemos juntos voar além do infinito.
Realizar nossos mais profundos desejos
de mãos dadas com a liberdade. Viajar,
brincar, dançar, cantar, cuidar e amar muito!

Sem nos perdermos nunca mais de vista.
Colhendo juntos as folhas do nosso outono .
Deixando cair sobre nossas cabeças a doce Paz.
Aquela que vem da certeza de que o Amor chegou abençoando.

Nos sentimos felizes pela nossa descoberta.
Mas que ela frutifique em ações que concretizem,
os mais profundos anseios, os mais belos sonhos.
E deste alicerce, tijolo por tijolo ergamos um real castelo.

 

publicado por SISTER às 13:08

Quero a sedução do toque, mesmo breve
                                Qual magia no meu corpo em prece.
                                Redime a apatia e faz-me chama acesa, logo!
                                Labareda, por de tua presença desfrutar.


                                Quero a sedução... que penetre minhas sombras.
                                Luz difusa e noite longa que revele-nos a alma.
                                Amante, saciada, com o verbo amar conjugado
                                De mãos dadas, no tempo da eternidade.


                                Quero a sedução... das manhãs cinzentas.
                                Da terra, com a chuva molhada, o perfume a nos borrifar.
                                Pingos molhando a vidraça... da tua boca sugando
                                Meus seios, sorvendo a ânsia de viver do veio.


                                Quero a sedução na penumbra impressa,
                                Quando o teu corpo que descansa
                                Em noites sem luar, faz-me estrela
                                Que constela teus sonhos, te faz clarear.


                                Quero a sedução do amor sincero
                                Que trás em si aura das metamorfoses.
                                Que faça-nos, em vôo , libertos alcançar,
                                O sétimo-céu como almas-gêmeas...

                                Vencendo a solidão, pássaros a voar!

publicado por SISTER às 13:06

No intento ser el gran amor de tu vida,
      ese que te exige, te demanda y luego te olvida.
      Simplemente intento ser ese que disfruta
      cada instante, cada segundo de tu compañía.
      Ese que en aquella noche de verano
      bajo un cielo repleto de estrellas,
      encontró en un abrazo, en un beso tuyo,
      la felicidad que creía perdida.

      No quiero ser tu dueño, tu pastor, tu guía,
      ese que te dice lo que tienes que hacer y luego te margina.
      Simplemente intento ser ese que te quiere y te mima.
      Ese que en aquella madrugada de desvelo,
      feliz, extasiado, intensamente disfrutó
      de la paz de tu rostro mientras dormías...

      No me interesa ir de visita por tu vida,
      ser el gran señor que te llena de cosas
      por fuera y por dentro te vacía.
      Sólo intento ser el que te provoque una sonrisa,
      ese que aquel día poniéndose romántico,
      enmarcó la belleza de tu rostro
      y le escribió una dulce poesía.

      No me gustaría ser ese que de rodillas suplica tu amor,
      ese que te tortura y lastima con su fuerte obsesión.
      Solamente ansío ser aquel que naturalmente desees,
      ese que en una impensada y casual noche
      fue dueño de tu confianza por única vez,
      protagonista sin ninguna restricción
      de la completa entrega de tu pasión.

      Sólo intento ser aquel que te pueda enseñar:
      que quizás exista el amor eterno,
      que tal vez la felicidad tenga dueño,
      que cada instante compartido
      puede ser un mágico sueño
      del que no se quiere despertar...

      Sólo pretendo ser únicamente yo,
      ese loco perdido que te quiere,
      ese poeta que se anima a decir
      sin miedos todo lo que siente:

      ¡Te amo intensamente
      cómo ayer, cómo hoy,
      cómo lo haré siempre!

publicado por SISTER às 13:04

Ínfima gota ao acaso,
brilha nos olhos da gente...
É a saudade ao ocaso
de nossa vida poente!


 

publicado por SISTER às 13:03
tags:

Nestes meus versos, impregnados
      de saudade,
      que falam de ti e de quando não estás,
      estão as palavras mais sentidas,
      que sói dizer, em poesia.

      Porque tu própria, meu amor, és a
      poesia, em toda a sua essência.

      Jardim de meu acalento, juramento
      de fruto, frutificando em todo o seu
      esplendor -

      e que só as minhas mãos
      sabem colher, sem qualquer dano ou
      presunção.

      E bate forte o meu coração, quando
      me passeio por ti e em teu rosto,
      deposito a mais leve das fragrâncias -

      pomos que a terra germinou e
      te trouxe aos lábios, o sorriso, filho
      das manhãs, ancoradas à beira-rio.

      E assim se fez poesia, por teu nome,
      consagrada, até ao fim de teus dias,
      que são meus também.


     

publicado por SISTER às 13:01

Aquela mulher lembrava
E nele pensava
Cada momento
Não conseguia
Em outra coisa pousar

Pensava-o
Querendo-o diferente

Pensava-o
Muitas coisas transformar

Pensava naquela paixão
Daninha
Que devorava
Esquentava
Voltava a esfriar
A tirava de órbita
Ficava a divagar

Queria vê-lo
Como o queria
Como sentia
Quando se apaixonou

Sentia que era bom
Ficar assim
Mas assim
permanentemente
Perdia a vida
Só nele pensar.

 

publicado por SISTER às 12:59

O caminho do céu se galga
                  subindo degrau a degrau
                  seguindo a pomba da paz.

                  O caminho do céu se trilha
                  sem usar de hipocrisia
                  e o escuro que ela traz

                  O caminho do céu é romaria
                  que trilhamos com alegria
                  deixando o passado pra traz

                  Só vale a pena trilha-lo
                  quando em boa companhia.
                  Seguir sozinho? Jamais!

                  Por isso te lanço o convite
                  da-me tua mão, não resistas
                  venhas ser também INCAPAZ

publicado por SISTER às 12:58

Se no mundo procuro tua presença

        Só no universo encontro tua alma

        Se nas ruas procuro teu rosto

        Só... Nas estrelas encontro teu olhar

         

        E por você...Viajo no infinito imaginário

        Como seria meu planeta, sem teu universo?

        Como seria o céu sem minha estrela?

        Como seria o rio... Sem você meu mar?

         

        Talvez fosse assim sem métrica ou rima

        Talvez fosse música sem melodia

        Talvez fosse poema sem poesia

        Talvez fosse eu... Assim sem você

         

        Nave que viaja sem rumo

        Sem timoneiro sem leme sem nada

        Meteoro que vagueia perdido

        No espaço infinito sem corpo sem alma

         

        Talvez fosse eu... Assim sem você.


 

publicado por SISTER às 12:56

Passa o tempo ou o tempo que passe,
        sua voz na escuridão perdida,
        vacila na mente a mesma ferida,
        incorpora o estado de má-criação.

        Passa o tempo ou o tempo em impasse,
        na mente a semente da traição.
        No corpo o gosto daquele contato.
        Na fúria o beijo da perdição.

        E passa o tempo...
        Na angústia revela o dom de querer,
        aquele ingrato momento sem tempo marcado
        para todo o sempre em acontecer.


 

publicado por SISTER às 12:49

Enquanto o homem não se convencer de que lhe é necessário conquistar as paisagens íntimas, suas realizações externas deixá-lo-ão em desencanto, sob frustrações que se sucederão, tantas vezes quantas sejam as glórias alcançadas no mundo de fora.

À semelhança de uma semente, na qual dormem incontáveis recursos, que surgem a partir da germinação, cabe ao ser humano desatar os valores que lhe dormem inatos, facultando-se as condições de desenvolvimento, graças às quais logrará sua plenitude.

Muitas vezes, as dificuldades que o desafiam são fatores propiciatórios para o desabrochar dos elementos adormecidos, e para que sua destinação gloriosa seja alcançada.

O homem de bem, que reúne os valores expressivos da honra e da ação edificante, faz-se caracterizar pelo esforço, pelo empenho que desenvolve, realizando o programa essencial da vida que é sua iluminação íntima.

Somente essa identificação com o si profundo facultar-lhe-á a tranqüilidade, meta próxima a ser conseguida. Partindo dela, novas etapas surgirão, convidativas, ensejando o crescimento moral e intelectual proporcionador da felicidade real.

Todas as conquistas externas - moedas, projeção social, objetos raros, moradia, eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos - não obstante úteis para a comodidade, a automação e sintonia com o mundo, bem como com a sociedade, não podem acompanhar o ser, quando lhe ocorre a fatalidade biológica da morte.

Cada qual desencarna com os recursos morais e intelectivos que amealhou, liberando-se ou não dos grilhões emocionais que o prendem às quinquilharias a que atribui valor.

Na luta pela aquisição das coisas, as batalhas se tornam renhidas, graças à competição, às angustiantes expectativas das disputas, nas quais o crime assume papel preponderante, com resultados quase sempre funestos.

Na grande transição, tudo aquilo que constituiu motivo de luta insana perde o significado, passando a afligir mais do que antes..

Não te descures da auto-iluminação.

Se buscas a consolidação da estrutura sócio-econômica pessoal e familiar, vai mais longe, e intenta a conquista dos tesouros íntimos.

Exercita as virtudes que possuis em germe, dando-lhes oportunidade de se agigantarem, arrastando outros corações.

Recorda-te, a cada instante, da brevidade do corpo físico e reivindica o treino para a morte, mantendo-te em serenidade, reflexão e ação iluminativa.

Vida interior é conquista possível, e está ao teu alcance. Logra-a, quanto antes, e sentirás a imensa alegria da plenificação.


 

publicado por SISTER às 12:46

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO