Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

31
Mar 08

   Meus versos são calhambeques,
      ruidosos, fora de moda...
      São damas atrás dos leques
      crianças brincando de roda.

      São homens de chapéu côco,
      na confeitaria colombo,
      São delírios de um louco,
      são mirangens e assombros.

      São o tempo esquecido,
      triolés, rondeis , rondós,
      nas asas do vento perdidos
      vozes clamando do pó.

      Em tempos de versos brancos,
      das mesmas coisas a dizer,
      solto meus sonetos mancos
      peço licença a Vossa Mercê.

      Como diz Roberto Carlos,
      ( nossa, como envelheci!)
      Viajo por entre seus carros
      com meu calhambeque: Bii-Bii

       Jorge Linhaça

publicado por SISTER às 07:08

Existem circunstâncias que podem nos fazer chorar.  Pode ser uma grande alegria, uma grande emoção, uma grande tristeza, uma dor profunda, tudo depende da sensibilidade da alma, e até mesmo do momento que estivermos vivendo, pois, se estivermos melancólicos, propensos às lágrimas, até um por do sol muito lindo poderá nos fazer chorar. Ou uma música, ou um poema, que atinjam nossa sensibilidade.

Podemos chorar por saudade.  Alguém muito querido que partiu. Mas nesse caso será melhor nos escudarmos nas boas lembranças, que poderão, se não evitar, pelo menos  minimizar a dor pela ausência.  Essa terapia faz muito efeito, pois lembrar momento felizes que foram vividos juntos, parece que nos faz sentir a presença de quem está ausente. O importante é não nos deixar dominar pela dor, procurando substitui-la pela alegria que um dia existiu. E como isso ajuda.  Pode não ser muito fácil faze-lo, mas é um excelente exercício mental.

Podemos igualmente chorar quando alguém nos faz sofrer.  Por exemplo alguém a quem amamos e que nos rejeita.  Seja um amor, um filho, um amigo, enfim, alguém que apreciamos, e que parece não retribuir esse sentimento.

Nesses casos, não vale a pena chorar. O melhor é devolver a mesma frieza, tendo sempre em mente que ninguém merece nossas lágrimas, pois as únicas pessoas que realmente  merecerem nossas lágrimas, nunca nos farão chorar. Pelo menos, não voluntariamente.

Um sentimento de amor, de amizade, de carinho, geralmente só provoca lágrimas de emoção, de alegria, nunca de tristeza.  Havendo essa reciprocidade, até mesmo eventuais ausências poderão ser superadas.

L'Inconnu mostrou-me uma mensagem interessante, que diz  o seguinte:

Se você ama alguém, coloque seu nome em um círculo, ao invés de um coração. Corações podem se quebrar, mas círculos duram para sempre.

Quando estamos necessitando ser ouvidos, apenas os verdadeiros amigos nos ouvirão.  Apenas quem realmente nos aprecia será capaz de nos acudir em nossos maus momentos, sejam eles quais forem.  Muitas vezes, chegam a ouvir o que pensamos.  Essas são as reais amizades.

Não precisamos pedir socorro,  elas nos socorrem antes.  E dessa mesma maneira deveremos agir quando a situação for inversa.

Não deveremos demonstrar raiva, mesmo que a sintamos.  A raiva é má conselheira.  Antes de nos deixar levar por sua negatividade, deveremos ponderar bem a situação, procurando ameniza-la o mais possível.  Evitando uma explosão de momento, tudo parecerá menor depois.

Muitas amizades, muitos amores, são perdidos por uma explosão de ira num momento inadequado. Uma amizade assim perdida, dificilmente será recuperada, pois as seqüelas provocadas nem sempre encontram lenitivo.

São essas perdas, cuja lembrança poderá provocar nossas lágrimas depois.  Principalmente ao chegar à conclusão de que aconteceram por um momento de destempero que tivemos, ao cortar bruscamente vínculos afetivos plantados durante muito tempo. 

Sofremos e fazemos sofrer, somente por uma questão de orgulho ferido que eventualmente pode ter provocado nossa ira.  Soltamos os "bichos" impensadamente, e depois não os conseguimos repor nas jaulas, perdendo uma amizade que nos era muito cara.

Enfim são muitos os motivos que podem nos fazer chorar.  E uma coisa é certa.  Seja qual motivo for, ao sentir aquele nozinho na garganta, não se segure, "deixe as águas rolar", pois é muito melhor um desabafo do que segurar uma emoção que está lá dentro, doidinha pra sair.

Bem, para evitar tudo isso, o melhor mesmo é termos UM LINDO DIA.


Marcial Salaverry

publicado por SISTER às 07:07

"Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros." (João: 13-34.)

O amor é o estágio mais elevado dos sentimentos.O homem somente atinge a plenitude quando ama. Enquanto anseia e busca ser amado, foge à responsabilidade de amar e padece infância emocional.

No contexto social da atualidade hodierna, todavia, a expressão amor sofre a desvalorização do seu significado para experimentar a decomposição do tormento sexual, que não passa de instinto em desgoverno.

Sem dúvida, o sexo amparado pelo amor caracteriza a superioridade do ser, facultando-lhe harmonia íntima e perfeito intercâmbio de vibrações e hormônios a benefício da existência.

Sexo sem amor, porém, representa regressão da inteligência às forças do desejo infrene, com o comprometimento das aspirações elevadas em detrimento de si mesmo e dos outros.

Por essa razão, vige em todos os departamentos do Cosmo a mensagem do amor.

Na perfeita identificação das almas o amor produz a bênção da felicidade em regime de paz.

Nem sempre, porém, se encontrará no ser amado a recíproca. Importa, o que é essencial, amar, sem solicitação.

De todos os construtores do pensamento universal, o amor recebeu a contribuição valiosa de urgência. Isto porque Deus, Nosso Pai, é a mais alta manifestação do amor.

E Jesus, padronizando as necessidades humanas quando solucionando-as, sintetizou-as no amor como única diretriz segura por meio da qual se pode lograr a meta que todos perseguimos nas sucessivas existências.

Se, todavia, sentes aridez íntima e sombras carregadas de desencantos obnubilam as tuas aspirações, inicia o exercício do amor entre os que sofrem, através da gentileza, passando do estágio da amizade.

Descobrirá a realidade do amor na tranquilidade do seu espírito.

Se por acaso o céu do teu sorriso está com as estrelas da alegria apagadas , ama assim mesmo, e clarificarás outros corações que jazem em noites mais sombrias, percebendo que todo aquele que irradia luz e calor, aquece-se e ilumina-se, permanecendo feliz em qualquer circunstância.

Haja, pois, o que haja, ama.

Em plena cruz, não obstante o desprezo e a traição, o azorrague e a dor total, Jesus prosseguiu amando e até hoje, fiel ao postulado que elaborou como base do Seu ministério, continua amando-nos sem cansaço.

Joanna de Ângelis

publicado por SISTER às 07:07

       Freddy era um cão já de sua idade
        que a todos curtia pla inteligência
        atropelado foi, co certa gravidade
        vindo a morrer na convalescência

        Sua mãe não admitindo realidade
        maldisse, toda, e qualquer ciência
        pois, perante, tamanha fatalidade
        aí vencer, coube-lhe incumbência

        Mui chorou, a pobre, dita senhora
        dizendo-se sozinha, e até saudosa
        nada se importando nem penhora

        Até que, um pequenino, cãozinho
        alguém de alma muito extremosa
        ofereceu à senhora o animalzinho

        Jorge Humberto

publicado por SISTER às 07:06

30
Mar 08

                 Sempre que ando, à beira do mar,

                  fico a observar o que me traz.

                  As ondas, num ir e vir, sem cessar,

                  e eu alí, a buscar minha paz.



                  Coleto conchas, diversão pueril,

                  conchas inteiras ou seus fragmentos,

                  nessa diversão, par'alguns, infantil,

                  me encontro com os meus sentimentos.



                  Já salvei peixes, em poças perdidos,

                  abelhas eu já salvei...afogadas,

                  bolachas do mar e até ouriços...



                  Diante do mar, isso não é nada,

                  mas para cada animal assistido,

                  uma segunda chance, foi-lhe dada.

                  Jorge Linhaça



publicado por SISTER às 08:21

Eu tenho um novo amigo,
que eu quero apresentar,
O seu nome era Rodigo,
Digão passou a se chamar.

Ele gosta de aprender,
truques de pura magia,
os seus livros vive a ler,
dia e noite, noite e dia.

É tanta a sua alegria,
quando aprende coisas novas,
Abracadabra...magia!
O lenço virou uma rosa.

Esse amigo é esperto,
brinca, canta e dança,
e nisso tudo esta certo:
É tão bom ser criança!

Mas na hora de estudar,
não perde nenhuma lição,
acabei de apresentar
Digão, meu amigo dragão.
Jorge Linhaça

publicado por SISTER às 08:20

Nós dois

 

não somos namorados

 

não somos noivos

 

não seremos casados

 

   nem tampouco amantes:

 

 

nós dois somos cúmplices.

 

 

Carlos Arthur Newlands Junior

publicado por SISTER às 08:19

                   Buscamos três coisas na  vida: amor, paz e felicidade.
                    O paradoxo é que ja temos o  que procuramos.
                    Uma vez por ano vamos ao shoping, compramos un lindo presente, escrevemos uma carta e damos a alguem presente em nossa vida: este presente
                    é para ti, com muito amor.

                    Onde está o amor?

                    No shopping? No presente?
                    Não, esta em meu coração.
                    Então porque não damos isso o ano inteiro?


                    o mesmo acontece com a felicidade.
                    Muitas coisas externas podem fazer-me feliz,
                    mas também pode escravizar.
                    A Felicidade não é uma dependência, é uma decisão                

                    Decida-se a ser feliz!

                                           Mike George

publicado por SISTER às 08:17

     En la paz de tu cariño,
      una tranquila compañia,
      una amante ardorosa
      una vida serena

      Así, de los conflictos del dia a dia
      me refugio en tu regazo, mi hogar
      hogar, dulce hogar
      que tanto bién me hace, una alegría

      y nuestra cama nuestras sábanas
      se hunden, en las olas de nuestra pasión
      olas que se quiebram, estremecen bajo tanto deseo
      las espumas revelan el tamaño de la realización

      Viene el mar de la tranquilidad
      que navego serenamente
      por mis días, por mis noches
      navegando en tu amor, suavemente
      Joe'A

publicado por SISTER às 08:16

É tão doce morrer no mar
em teus braços de serenar.
Tão doce que o sol se recolhe
de tanto amor testemunhar.

E vamos mergulhando ao fundo
a respiração se fechando.
Na despedida do mundo,
a nossa tênue luz se apagando.

Nossos corpos perdem a vida,
nossas almas ganham a luz.
Doravante dar-se-ão guarida
no iluminado túnel que as seduz.

Chegamos juntos à outra dimensão,
a mesma praia, os mesmos coqueiros,
a mesma cena vemos com emoção,
e lá longe se avistam os saveiros.

Um trapiche para o descanso
dos involuntários mergulhadores
naufragados no mar em balanço
do barco, causador de suas dores.

Porisso é doce morrer no mar.
Todos os sonhos materializados,
conjugando a dois o verbo amar,
para sempre, eternos enamorados.


Guida Linhares

publicado por SISTER às 08:15

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO