Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

21
Abr 07
Sinto algo no ar.
Pesada atmosfera
Nesta noite que não tem fim.
 
Será que terei tempo?
Ou terei de curvar-me ao Universo?
 
Tempo, espaço,
Ansiedade e cansaço
São  medidas que não existem!
 
Humana que sou: eis-me!
Tempo inclemente,
Coloco-me à tua disposição!
 
O viço já esta encarquilhando-se.
As mãos já enrugadas,
A lisa pele da face,
Já se faz opaca!
 
Mas os olhos!
Conservam ainda o mesmo brilho!
E estes meus lábios que te sorri
São os mesmos que já te amaram tanto!
 
Meu querer não tem prevalência....
Não posso me rebelar!
Resta-me vagar pelo Absoluto!
 
E eis que cansada e enfraquecida,
Busco no mar infinito,
Na velocidade do vento,
Nos astros mais brilhantes,
Nas estrelas do céu,
Em toda a via-láctea
O amor que já foi meu!
 
O teu amor que pensei eterno,
Que um dia me foi dito,
Pela luz de teu olhar,
E que hoje...já não alcanço!
delasnieve daspet 
publicado por SISTER às 07:54

Para poder abraçar mais, beijar mais, rir mais
Viver bem mais que o necessário
Queria ser mais mulher
Para sentir quantos passariam e criariam forças atráves de mim
Quantos nasceriam de mim e seriam felizes por meu intermedio!
Queria ser mais mulher
Para resolver muito mais problemas
Resolver de vez por varias vezes amores mal resolvidos!
Multiplicar a alegria dos poucos momentos que a felicidade trás
Resolver ser o que sou, errando e tentando sem desistir jamais!
Queria ser mais mulher
Para dizer varias e muitas vezes que te amo
Varias e muitas vezes que sou a banda de tua laranja
Varias e muitas vezes que nossos anos de vida
Muito mais seriam se juntos fossemos...
Dizer varias e muitas vezes que sendo mais mulher
Teria mais oportunidade de demonstrar
A eterna mulher que seria estando com você!

Ilka Guedes Guerra

publicado por SISTER às 07:54

Eu sei o que é felicidade
Já vivi estes momentos
Só de observar ela fluir
Através do seu corpo
Extravasar seu espírito
Não preciso senti-la
Só perceber no teu sorriso
Que ela faz morada no seu coração
Pois para aquele que verdadeiramente ama
A felicidade mora no amor contido
Naquele sentimento definido
No espírito da pessoa amada
Que mesmo não sabendo de nada
Só em ser feliz
Já propagou a felicidade
Deu um gosto de eternidade
O tempero exato
A paz que necessito
Para apaziguar
Este coração.


Gerson F. Filho
publicado por SISTER às 07:54

 
O hoje transporta-me para o distante do ontem...
E entre a neblina que tenta ofuscar minhas recordações,
Ainda vejo teu rosto, desenhado no horizonte da saudade.
Quantas vezes me perdi na profundeza do teu olhar,
Quantas vezes senti em minhas mãos,
A maciez de tuas faces, o calor do teu corpo...
Ouvi, muitas vezes, teu ofegar delirante,
Com a impetuosidade dos meus beijos,
E escutei tuas promessas de amor
    Como se fossem eternas.
Um dia partiste...
Fiquei só....
Olhando as águas, sentindo a brisa, sofrendo.
Ecos da tua voz chegavam-me aos ouvidos...
Tentei  esquecer-te,
Busquei outros amores,
Mergulhei nas ilusões de um reencontro...
Nada!!!!!!!
Ainda te espero...
Sei que não virás,
Mas te espero,
Mesmo no vazio do não realizável,
Do não possível,
Porque sem a tua presença,
É impossível viver,
Sem sofrer,
Sem morrer lentamente,
Na lentidão do tempo.
Partiste eu sei,
Mas não ficaste ausente,
Porque não conseguirás te ausentar,
Enquanto eu te lembrar.
 
Sá de Freitas

publicado por SISTER às 07:54

Das fábricas, dos campos,
Façamos ouvir a nossa voz,
E se somos assim tantos,
Não mais estaremos sós.

 
Ceifeiros e secretárias saiam
À rua, num grito uníssono,
E que os burgueses caiam,
Num permanente sono.
 
Larguem todas as máquinas
Que aqui os aprisiona,
Sem jogos sujos ou tácticas,
Daqueles que os acondiciona.
 
Da força dos braços nascerá a raiz,
Vem rapaz ou rapariga,
Mostrar-lhes como se diz,
Na já tão velhinha cantiga.
 
Não mais os déspotas de outrora,
E se a tua voz for verdadeira,
Com a verdade namora,
Assim no campo a tenaz ceifeira.
 
E que o poeta cante tudo isto,
Perdurando pelo tempo,
Sabendo que está em risco,
O seu próprio alimento.
 
Alto o pendão se erguerá,
De uma nova sociedade aqui,
Só quem lutar saberá,
Quem ganhará no fim.
 
Jorge Humberto
publicado por SISTER às 07:54

Ninguém enquanto viver esta livre deste vexame;
Todos os que se encontram neste estado
ficam tontos, infantis, passionais, vingativos
passiveis dos maiores desatinos.

É um sofrimento com fases de tristuras,
lagrimas, desdém, indignação, asco, suspiros.
É a mesma coisa em qualquer idade,
treze, quinze, trinta, cinqüenta, setenta,
o que me faz indagar:
Por que mentes para mim?

Por que mentes para mim?
Por que ?
Não entendo a traição...
Pode acontecer com todos!
Fica a dor da perda...

Em silêncio tento entender
este tolo coração que gosta de apanhar,
sempre se entrega a quem não devia...
e morre na solidão - todos os dias!

Delasnieve Daspet

publicado por SISTER às 07:54

Te encontro nas minhas viagens
silenciosas, dialogando com a saudade
e nela, sorris com tal emoção, que o meu
coração não vacila, e a ti se entrega!
Ah! Que belos momentos, que o tempo
afastou, mas o amor, ele não levou!
O tempo é só um espaço entre nós, pois
 sei que estamos juntos em pensamentos
Sigo em direção aos teus braços
embalada pela esperança, de livrar-me
desse silêncio que invade os momentos
 sombrios da minha vida...
 
Zilca P. Tricerri
publicado por SISTER às 07:54

Desponta novamente em minh’alma
A poesia, áurea e magnífica!
Mergulhando no mundo do silêncio
E no mistério deste mar poético.

Celebro a vida com participação na poesia
Vivendo a paixão pura e sempre...
Como quem recebe a eucaristia
Ou o novo pra que não se sinta melancolia.

Para quem necessita o incêndio da paixão
E possa se inspirar com emoção
Descobrindo no mundo mágico dos sonhos
Recebo-a aspirando a forma em canção.

Levo a saudade para um abismo
Que almejo não alcançar jamais
Não mais sofrer a insensatez da ausência
Renascendo no amor, como cada amanhecer.

Quero-o meu amado, amor sonhado!
Curtido e apaixonado, sitiado!
Meu rei, meus versos de alegria!
A luz colorida de minha fantasia.


LuliCoutinho

publicado por SISTER às 07:54

Luz do antes, de lindas nuances,
onde está o ontem?
O ontem havia, em luz que irradia, 
fazendo outro dia
 
 
 Agora o dia lá fora já foi embora,
 tardando essa hora
O ontem lembrado, e hoje esperado,
 no dia guardado
 
 
Quem dera, se essa doce espera,
não fosse quimera
Da mente se negando ao presente,
dessa luz ausente
 
 
E o hoje esperado não fosse negado,
o brilho ocultado
Trazendo acalento, sem o lamento, 
por outro momento
 
 
Maria Nogueira Martinelli
publicado por SISTER às 07:54

Te encontro nas minhas viagens
silenciosas, dialogando com a saudade
e nela, sorris com tal emoção, que o meu
coração não vacila, e a ti se entrega!
Ah! Que belos momentos, que o tempo
afastou, mas o amor, ele não levou!
O tempo é só um espaço entre nós, pois
 sei que estamos juntos em pensamentos
Sigo em direção aos teus braços
embalada pela esperança, de livrar-me
desse silêncio que invade os momentos
 sombrios da minha vida...
 
Zilca P. Tricerri
publicado por SISTER às 07:54

O poeta vê, ouve, sente,
descreve e esvreve,todo
o trajeto da queda de um
galho sêco até que toque a
 terra coberta de folhagens...
Mais além, o poeta o deixa
aos cuidados do tempo...
Talvez seja transformado em
 gravetos, fumaça e cinza ou
ainda, casinha de gnomos
com telhado de musgos...
 
Naida
publicado por SISTER às 07:54

Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO