Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

10
Mar 07

Ah poeta, que bom saber que não estou sozinha
que vês o amor onde o vejo também
pois sinto a ternura nas algas marinhas
deixadas na praia, ninguém sabe por quem...

E lá no estuário, ouço a serenata
de peixinhos tantos que saltam pra mim
ao longe as traineiras, preguiçosas balançam
pousadas no amor de ondas que não se cansam...

Já vi duas gaivotas marotas na areia
trocando os carinhos que as duas anseiam
eu me emocionei passando por elas
rondando na praia onde elas passeiam...

No jardim da orla, aquela flor formosa
pra mim ela está, nada mais que dengosa
colhendo o amor, de uma outra flor
que recita poemas em verso e em prosa...

E até os pombinhos, tão impertinentes
só trocam carinhos, não aborrecem a gente
tudo que eles querem, à sua maneira
é viver o amor pela vida inteira!

Se eu não vir o amor, se eu não o sentir
oh Deus, morrerei, foi pra isso que eu vim
para aprender a amar, aboná-lo sempre
que o mundo sem ele, é um mundo carente!


Tere Penhabe

publicado por SISTER às 07:35

Veja na grama o pranto da chuva,
Que o sol carinhoso procura enxugar.
Olhe, entre espinhos, a rosa cativa,
Que o inseto amoroso chega pra beijar;
Escute o Riacho em carícias nas pedras,
A brisa alisando os campos em flor,
E verá que em tudo: no mundo e na vida,
Existe a divina presença do amor.

O sol ama as nuvens, o céu - às estrelas;
Os pólens das plantas se amam também...
Até mesmo o ódio se entrega vencido,
Se encontra o amor no sorriso de alguém...
Os pássaros voam cantando alegria,
Na terna poesia de se procriar;
As rochas inertes e frias recebem,
Os beijos fogosos e furiosos do mar.

Sem amor no mundo não existe vida,
Sem amor na vida não se faz canção;
Sem canção não canto,
Sem cantar não vivo...
Sem amor eu morro,
Morro em solidão.

                         
     Sá de Freitas

publicado por SISTER às 07:34

Alfa e ômega envolta em sedas e a leveza perpetuada.
Flores, pousou  crisálida, recusando chãos. Em Atenas
Fez seu palco e descalça num panteão de ilusões, dançou
Liberdade e irreverência fazendo do viver a decência...


...Mais que desamor e as aparências, a vida em movimento
Cultuou. Soltou as vestes e sob intempéries, sentimentos
Extravasou. Naturalidade... seu estilo demarcou. Em geografias
Tumultuadas com harmonia, deslizou, liberta...amor e dor.
 
elisasantos
publicado por SISTER às 07:32

Partiu dali para o nunca mais

Nada levou, apenas deixou

a esperança, o amor, o abandono

 

Navegou sem fuga e sem procura

Nem sequer olhou para trás

Foi cortando os horizontes

cruzou fronteiras, desbravou o céu

 

Seus pensamentos

esculpiram as nuvens

que acenderam-se em velas

 

Sem diques para deter o mar

viajou em lirismo solto

Beijou o crepúsculo

ofertou uma rosa ao vento

 

Apaixonou-se pela manhã menina

Evaporou-se no sol...

 

Sandra Lúcia Ceccon Perazzo

publicado por SISTER às 07:31

Choveu.

Era noite.

Havia vento.

Já não me lembrava

que tinha saudade

das pequenas coisas

que a cidade nos rouba:

se fechasse os olhos,

 teria as mesmas sensações.

Primeiro veio de mansinho,

depois o cheiro chegou intenso,

aquela lufada que

 impregna o ambiente,

o cheiro do chão molhado

pela água do céu

e as gotas caindo

sobre aquelas palhas secas.

Queria que logo acontecesse

outra vez...

 Ceres Marylise
publicado por SISTER às 07:30

A exegese masculina dedicou-se a ter na mulher uma rainha,
uma princesa com determinada beleza, estereótipo adotado pela maioria!
É preciso ter certos atributos para uma mulher tornar-se poesia!
Desde então, quem foge a este modelo de perfeição,
pode ser boa mãe, boa esposa, ter mãos de fada,
porém, não sendo 'gisele', 'carolina', não é massa fina,
não tem belas curvas, não está com nada!
Aí, me pergunto, onde ficam 'as marias,', as executivas, a inteligência
quando a bem querença fica de lado?
Não sei! Sei que a mulher é poesia em qualquer estado!
 
Margaret Pelicano
publicado por SISTER às 07:29

Desesperançada da vida
tão dolorida,
acompanho o Sol no seu ocaso,
deixando para trás
a desagradável jornada...
 espero ao amanhecer,
 acordar menos atrapalhada!
Margaret Pelicano
publicado por SISTER às 07:27

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


18

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO