Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

11
Fev 10

      Se queres medir teu talento,  qual seja
      Ou tuas vitórias e conquistas na vida
      Observa o tamanho da inveja
      Ela é do tamanho das derrotas vencidas


      Se sentires que a ela tu despertas
      Alegra-te, pois és como o mais puro brilhante
      Talvez inseridas em tuas dúvidas honestas
      Esteja a resposta do que te faz irradiante

      Se notares que da inveja és o alvo
      Mantenha o teu curso sem recuos
      Ela não tem noção da distância - estarás a salvo

      Se a inveja criar conflitos ou acuos
      Ignore e perdoe,  sem ressalvas
      Pouparás a tua poesia se te mantiveres puro

publicado por SISTER às 08:07

04
Fev 10


      Eu vi surgir no horizonte
      Uma luz azul que,  ofuscante,
       Refletia,  nítida,  uma fronte
      Contornada pelos montes

      Era tão terno aquele semblante...
      Fitei, tentando  traduzir o que seria
      Senti ímpetos de mover-me adiante
      Imóvel,  permaneci por uns instantes

      Quando,  naquele cenário,   se desenharia
      A mensagem esperada por todos nós viventes
      A mim dizia,  a poesia de todas as poesias:-
       - Sou o amor que veio para salvar os homens

      Eu vi ....



    

publicado por SISTER às 08:08

é chegado o tempo do amor ternura
em que a simples presença
nos desperta uma inusitada sensação pura
fazendo-nos voltar a novas crenças
pelo doce milagre de todas as curas
quando no pós amor, só amor compensa

publicado por SISTER às 07:55

30
Dez 09

                 Aquele sentimento aumentava, incontrolável, desde que Alice conheceu José.
                  Havia se apaixonado, outróra, ou assim pensava, sem poder jamais externar seus sentimentos.
                  Tratava-se de uma Alice que sonhava com o país das maravilhas ...
                  Naquele amor, só encontrou dor e sofrimento, não havia nada que se assemelhasse aos seus sonhos. Menina nova, achava que aquele homem poderia mudar e vir algum dia  a seus anseios, realizar.Tudo o que esperava, tornava-se agonia. O  sofrimento em que vivia, se perpetuava, a cada dia.
                  A vida incumbiu-se de separá-la do grande engano cometido. Seguiram cada um o seu caminho e Alice, mesmo decepcionada, ainda sonhava.
                  "Algum dia poderei amar e ser amada, (silenciosamente pensava )..."
                  Passaram-se anos ...muitos anos ...Alice  tornou-se uma linda senhora.
                  A sua beleza era refletida pelos bons sentimentos que nutria e pela sua constante alegria.
                  Seus filhos, já criados, tornaram-se pessoas íntegras, das quais, Alice muito se orgulhava.
                  Sua ânsia de amar, na maturidade, transformou-se em poesia.
                  Dizia coisas lindas, em tudo o que via.
                  Seu amor , a todos e, em tudo, refletia.
                  Sua vida, então, passou a ser uma constante alegria..
                  Surpreendentemente, para Alice, certo dia, percebeu que em toda aquela alegria, havia um amor ... Aquele pelo qual esperou por toda a vida.
                  A magia  do amor, voltou a habitar as fantasias de Alice.
                  Sonhava dormindo e acordada, com aquele que tomou sua vida e,  a ele, em silêncio, dedicava todos os seus pensamentos ... toda a sua romântica poesia.
                  O tempo ia passando e, aquele amor, vencendo todas as barreiras que a vida  impunha.
                  Estavam muito distantes, um do outro, quando certo dia, Alice se depara com o que tanto esperou ...  Chega a mensagem de seu amor, que então dizia:-
                  "Dir-te-ei que te amo, algum dia. Espere por mim . Chegarei a tempo de dançarmos uma valsa."
                  A alegria de Alice foi tanta que, com a carta na mão, se pôs a girar em torno da árvore que a sombreava e a tudo assistia.
                  Rodopiou como se valsasse ...de olhos fechados ... como se o amor estivesse ali presente, a seu lado, como o perfume suave, a  exalar,  que ela sentia.
                  A emoção  levou-a  a desfalecer ...e, assim, ficou ...
                  A música dos pássaros, solene, tocava em tom de despedida.
                  Alice morreu feliz, na certeza de que havia encontrado o verdadeiro amor...
                  E, foi assim, que, dos sonhos lindos de Alice, surgiram as maravilhas do mundo que ela criou em sua fantasia e que só para ela existia.
                  Ao encontrarem Alice, eternamente adormecida com um leve sorriso nos lábios, abraçava uma linda flor, que acabara de ser colhida.
                  A mensagem era uma flor e a história de Alice, só mais uma  linda poesia.

publicado por SISTER às 15:02

18
Dez 09

                                                            És flor aroma inebriante que hipnotiza
                                                             Tens o poder de anestesiar meus dias
                                                Com tua presença distante, de tão terna,  fragiliza
                                                  Quando estou a teu lado respiro canção e poesia

                                                     És todo amor em forma de um " nada importa"
                                              Faz-me sentir eterna quando tudo o mais é tão fugaz
                          Dita-me e norteia um viver fecundo,  quando tudo o mais é folha morta
                             No ar que respiramos juntos existe um sabor de encanto,  tão vivaz
    
                                              És o canto encanto em nossa outonal primavera
                                     Renovação do amor em nuances perfeitas de sombra e luz
                                               Temperança  de um sentir ardente ... tão singela

                                                          Não sou e nem és meu amor primeiro
                                       Num  saber  consciente  deste toda carinho,  a que me induz
                                                És meu último amor... nada mais existirá depois


 

publicado por SISTER às 12:11

07
Dez 09

                                Poeta que é poeta
                                Não segue sua vida por simples metas
                                Eleva-se a ver soluções no impossível
                                Passa a versejar o que a todos é invisível
                                Penetrando cernes por arestas

                                Poeta que é poeta
                                Não sabe donde vem a inspiração
                                Simplesmente, escreve com paixão
                                O que, por impulsos raros , é sentido
                                Ainda que, por vezes, expondo-se ao perigo

                                Poeta que é poeta
                                Alimenta-se do amor para dizer do desamor
                                Respira aromas exalados pela dor ou pela flor
                                Sacia-se com o alimento da verdade
                                Abomina toda e qualquer maldade

publicado por SISTER às 11:18

19
Nov 09

            Então, o amor se fez verbo
            Em desconexas palavras, na sua euforia
            Crendo no que lhe parecia eterno
            Passou a dizer ao mundo, o que sentia



            Então, o amor se fez verbo
            Em meio a toda a sua alegria
            Cantou seus segredos,  em prosa e verso
            Sem censuras,  fez-se todo poesia



            Então, o amor se fez verbo
            Conjugou em todos os tempos, a sua fantasia
             Sem perceber que a vida, sua  algóz,  o trairia



            Então, o amor que se fez verbo
            Ofereceu,  em sacrifício,  a sua  agonia
            Calou para sempre, o amor,  que,  de amor, então,  morria

publicado por SISTER às 06:49

14
Nov 09

      O poeta é aquele que diz
      o que a alma dita
      Sem máscaras e sem verniz
      Seja da alegria ou da desdita
      Sobrepõe o versejar
      a todos os preconceitos
      Sua missão é propagar
      seus mais puros sentimentos
      Convincente em suas rimas
      faz chorar ou rir
      Apesar das vicissitudes
      que faça-o partir
      Trará no peito em secreto
      o poema que jamais foi dito
      Guardará em seu silêncio
      à espera do momento
      em que despretencio
      brade aos quatro cantos
      sua poesia
      exalando o seu encanto

publicado por SISTER às 09:35

23
Out 09

      Desculpe à minha poesia
      A te dizer sem medos e sem brios
      Neste jeito de amar em forma de magia
      Provocando consciente, ternos calafrios

      Desculpe à minha poesia
      Que chega à tua casa, sem pedir licença
      Ignorando o tempo, seja ele noite ou dia
      Levando aroma de amor, em sua essência

      Desculpe à minha poesia
      Ela é a paixão versejada em rimas
      É o sentir da alma que é só minha

      Desculpe à minha poesia
      Por tudo o que tem escrito
       Desvendando segredos, que eu jamais teria dito

publicado por SISTER às 17:31

11
Out 09


      Desculpe à minha poesia
      A te dizer sem medos e sem brios
      Neste jeito de amar em forma de magia
      Provocando consciente, ternos calafrios

      Desculpe à minha poesia
      Que chega à tua casa, sem pedir licença
      Ignorando o tempo, seja ele noite ou dia
      Levando aroma de amor, em sua essência

      Desculpe à minha poesia
      Ela é a paixão versejada em rimas
      É o sentir da alma que é só minha

      Desculpe à minha poesia
      Por tudo o que tem escrito
       Desvendando segredos, que eu jamais teria dito

publicado por SISTER às 11:32

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO