Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

05
Nov 10

Deus, obrigado sempre!
Resignado, carrego as minhas dores...
Além do corpo que te apresento doente,
tens escutado os meus fervores!

São preces a ti, meu Pai !
A nossa forma de dialogar...
Nada que eu possa mais pedir,
além daquilo que me possas dar!

Um tempo a mais para agradecer-Te em vida...
Por tudo que me ofereces a cada dia!
O sol, a chuva, os rios, os mares, os animais...
O irmão que grita ao desamor e eu não via!

Um tempo a mais, meu Pai...
Para que eu possa chorar a dor dos outros,
escutar a voz dos oprimidos,
neste tempo tão curto e pouco!

Buscar qualquer religião...
Aquela que me faz mais humano, responsável,
em paz comigo mesmo!
Que purifica a minha alma tão impura,
que até então caminha vazia e a esmo...

Um tempo a mais, meu Pai...
Para exercitar a minha paciência!
E aqueles que ferem os Teus humildes,
não ter neste Teu filho qualquer conivência...

Que eu possa ser a Tua voz...
Ecoada nos porões da indignidade!
O acalanto pelas noites frias,
para aqueles que peregrinam sem abrigo pela cidade...

Ainda tenho filhos menores!
Um neto que me espera todos os dias...
Dá-me um pouco mais de tempo, meu Pai,
para que eu possa corrigir os erros que não via!

Minha mãe ainda me espera,
para os domingos de sol sonolentos...
O meu pai ainda teima, sonhando
que pode vencer os dias e o tempo!

Tenho amigos que me esperam
para uma palavra de conforto...
Alguns abraços a serem divididos,
que buscam em mim algum porto!

Pessoas que me amam...
Perdidas em algum lugar deste mundo!
Cujos encontros são pelos nossos pensamentos,
que fogem aos seus braços num segundo...

Amigos que sumiram!
E que preciso urgentemente reencontrá-los...
Lares de queridos que ruíram,
que tentarei até a morte a juntá-los!

Um tempo a mais, meu Pai...
Para quando em minha lápide estiver escrito: Aqui jaz!
E Tu me chamares à grande festa de minha chegada,
eu, mais bonito ao Teu lado, possa viver em paz.

publicado por SISTER às 13:47

21
Mar 10

E a continuar os janeiros,
tão cheios de esperança e ligeiros,
hão de levar-me  enfim,
aos braços da maturidade,
à despedida da mocidade,
ao encontro finalmente de mim!
E a continuar os janeiros,
tão cheios de sonhos fagueiros,
hão de levar-me a amores,
risos, ilusões e dores,
momentos bons e ruins...
E a continuar os janeiros,
terei filhos baderneiros,
com histórias tantas e sem fim...
Netos que chegam obreiros,
de dias que correm festeiros,
passando felizes por mim!
E a continuar os janeiros,
hão de levar-me o viço...
Qualquer compromisso!
Darme-ei um sorriso e
asas para a felicidade!
Eu com minha amada...
E a continuar os janeiros,
um de nós vai primeiro !
Triste verdade...
Juntos ou separados?
O que importa?
A vida segue por lá
sem pressa, sem tempo, plena!
Para vivermos uma eternidade...


 

publicado por SISTER às 13:18

26
Ago 09

             Ave-Maria, cheia de graça,
            eu sou de ti e tu és minha!
            Bela Maria, entre as mulheres
            tu foste a escolhida...
            Bendito é o fruto do nosso amor,
            amante, esposa e rainha!

            Santa Maria de todos os dias,
            agradecei o pão abençoado do nosso lar.
            Rogai por mim, pecador!
            Na ignorância que me queira abraçar...

            Na hora de minha morte,
            que tu estejas ao meu lado!
            E, em teus braços, amor de minha vida,
            eu possa partir confortado...

            Que eu te amei em verdade
            além desta, muito além...
            O nosso amor por Deus abençoado!
            Amém...
            Amém...

publicado por SISTER às 16:57

07
Ago 09

        Nesta minha quase loucura,
        Levo-te sobre o orvalho!
        Com saudade dura, de ausência pura,
        Em meu imaginário!

        Lá a solto nos capins!
        Dançarinos enlaçando teu corpo...
        Coloco em teus cabelos alecrins,
        Ao canto de bichos soltos!

        Tu corres de pés no chão,
        Como se estivesses livre da gaiola...
        No céu um sol querendo chão,
        no horizonte indo embora...

        Nada paga o teu sorriso!
        Moeda qualquer deste mundo...
        Nada paga!
        Nem o brilho do teu olhar
        De lua ao fundo...

        Nada paga tantos risos!
        Distribuídos numa alegria sem fim...
        Nada paga!
        Entre os trigais revividos,
        Na revoada dos mandarins!

        Ainda dançamos e dançamos...
        Coroados de estrelas sentinelas!
        Por elas, apaixonados, voamos,
        Ao cosmo de noite bela !

        Nada paga os beijos que trocamos...
        O sussurrar de nossas almas ao vento!
        O amor que para sempre juramos,
        Que a adolescência trazia nesses tempos!

        Nosso sexo confirmado,
        Ao barro fresco daquele chão!
        Nada paga...
        Coberto por vagalumes, na escuridão!

        Nesta minha quase loucura,
        Chorei a ilusão que não me cabe!
        Falta-me tudo! Iludo-me!
        Realidade...

        Falta-me tudo!
        Sobra-me , sobre tudo...
        Saudade!

publicado por SISTER às 11:45

05
Ago 09

      Se não morrer agora,
      quando em mim foi cravado o punhal do adeus,
      morreria por todas minhas auroras,
      que restassem dos dias meus!

      Não mereço morrer todos os dias,
      ainda eu que te amei em verdade...
      Alongando de mim triste agonia,
      morrendo, aos poucos, de pura saudade!

      Se eu não morrer agora que fechas a porta
      e ainda carregas pesada mala com tuas roupas,
      morreria por todas minhas madrugadas frias,
      aos beijos dos sereno substituindo a tua boca!

      Não mereço morrer todos os dias,
      ainda eu tenha vivido só prá ti !
      Que eu morra hoje o que importa?
      De mim mesmo me esqueci!

      Culpar a quem?
      Ninguém!
      Jás fostes!

      Dias que me esperam...
      Para cada segundo levar um pouco de mim!
      Tua ausência é mal que nada supera...
      Triste verdade, meu fim!

publicado por SISTER às 11:25

01
Ago 09


      Quero cuspir poeira,
      afundar os pés no barro,
      nadar em águas pantaneiras,
      molhar o corpo no orvalho!
      Andar de trem fumaçando,
      riscando os alagados...
      Passar o tempo escutando
      a sinfonia dos canários!

      Quero cheiro de igarapés,
      de macaúbas e araucárias...
      Canto dos flamingos rosados,
      revoada de araras!
      Rastros de onças pintadas,
      correria das capivaras...

      Quero pintado na telha,
      com viola em noites de luar...
      Cantoria em todo colosso,
      de bichos chamando chuva!
      Manhãs com pura neblina,
      douradas, quentes e cruas...

      Quero tererê na cuia,
      à sombra do umbuzeiro!
      Vento no rosto de um galope
      do cavalo pantaneiro!
      Jacarés assustados,
      bichos indomados do charque inteiro...

      Quero luar preguiçoso,
      beijando os perdidos corixos!
      Lendas e causos matutos,
      costela de boi no capricho...
      Pinga da boa na guela,
      amarelinha de canela,
      vida sem compromisso!

      Quero trem que vá ao pantanal!
      Quero vida, amém!
      Até que eu chegue lá...
      Minha alma, porém, estará
      a me esperar!
      Pois, quando parti iludido,
      foi ela quem ficou lá!

publicado por SISTER às 13:44

29
Jul 09

      Teus cabelos esperam as flores
      que minhas mãos trêmulas carregam...
      Um dia foram firmes e decididas!
      Hoje minha alma as elevam
      às carícias por teu rosto, minha vida!

      E, tu me olhas com ternura!
      Como se fosse o primeiro encontro de nossa vida.
      A lua os teus olhos, vem beijar...
      Trazendo as estrelas atrevidas!

      Nossa cama, nossa casa...
      Filhos , netos barulhentos!
      Uma sala inteira para sonhar,
      ao sopro nas cortinas do fresco vento!

      E, tu segues me olhando,
      como se a cuidar do teu menino...
      Meus olhos sem querer vão te entregando,
      lágrimas agradecidas em desalinho!

      Quadros pela parede...
      Cômodo a cômodo coisas tão queridas!
       Chama-nos ao papo o balançar da rede,
      a ninar juntinhos ilusão vivida...

      Partimos no imaginário,
      Como partem as aves aos seus ninhos!
      Adormeces em meu peito, minha vida...
      Faze-me, em teus braços, passarinho!

      Quiçá morrêssemos assim de verdade!
      Com almas de aves,
      numa noite onde os alecrins
       perfumassem os caminhos
      que levassem a eternidade!

      Ah, ilusão de mim!
      Ilusão nossa( suspira meu amor!).
      Quisera fosse!

publicado por SISTER às 09:01

06
Jan 09

      O que desejas, mullher?
      Um carro zero, uma mansão, jóias
      e dinheiro?
      Queres de mim a fortuna,
      viajares ao mundo inteiro?
      Por que me fazes desgraçado,
      em não me querer por nada?
      O mais infeliz e famigerado,
      de alma toda rasgada?
      Maldita! Dize-me!
      Queres perfumes e roupas?
      Ainda te fazes atrevida,
      negando-me o sabor de tua boca?
      Ignora-me, infeliz!
      Dize-me! Queres tapetes persas?
      Quadros de Picasso, Monet ?
      Fazeres de mim um quase nada,
      Por quê?
      Atrevida! Tu me negas-me um olhar sequer!
      Abaixas a cabeça e olhas o chão...
      Fechas a mim, sem pensar,
      a chave de teu frio coração !
      Por que me fazes tão miserável,
      tão pedinte, tão pequeno?
      Não vês que sucumbo na falta
      de teu amor
       e que, aos poucos, estou morrendo?
      É o que tu queres, não é?
      Depositar flores em meu caixão...
      Derramarás pelo menos uma lágrima,
      ingrata, ou manterás frio o coração?
      Quisera fosse o mais pobre dos homens,
      porém, o mais amado por ti...
      Pobre tu és também, porque não enxergas
      o amor que te ofereço!
      Somente a fortuna que possuo, maldita!
      Ainda bradas que teu amor não tem preço...
      Condena-me rico, simplesmente
      e em teu coração de serpente,
      não me deixas fazer morada, por desdita!
      O teu amor não tem preço?
      Ah, mulher bandida!
      Achas mesmo que mereço pagar tão caro?
      Tu me cobras a triste vida!

publicado por SISTER às 13:21

04
Dez 08

                     Eu, que não gostava de ratos,
                                vivia matando os bichinhos...
                                Comiam meu milho, é fato,
                                Saiam bem de fininho !
                                Engraçado! O tempo nos uniu!
                                Perdi Maria, minha amada,
                                Meu cão de juntar boiada,
                                que era do meu avô!
                                Perdi meu cavalo crioulo,
                                de velhice ,o pobrezinho...
                                O meu galo brigadô,
                                que criei desde pintinho!
                                Maria não engravidou .
                                Não me deu nem um
                                filhinho...
                                O ratinho que sobrou!

                                É ele que vem toda tarde no meu
                                rancho de pau-a-pique...
                                Anda prá lá e prá cá,
                                faz ali piquenique !
                                Nem ligo! Até me divirto...
                                Às vezes se pendura pelo rabo,
                                derruba a caneca e monta o circo!
                                Rola meu pedaço de pão
                                e joga no chão, o danado...
                                Conversa finininho, o ratinho,
                                comendo meu queijo curado!
                                Nem ligo! Até me divirto...
                                Parece só, como eu!
                                Tantos anos de combate
                                a colônia padeceu ?
                                Ficou ele !
                                Com aquele olhinho brilhante,
                                Senta e limpa o bigode quase todos os dias!
                                Pelas noites de luar,
                                me escuta até cantar
                                com saudade de Maria...
                                Quem diria! Um rato?
                                Amigo de um sertanejo?
                                Vilão do celeiro!
                                É questão de solidão.
                                Do homem e o bicho mateiro!
                                Fazer o quê?
                                É ele quem me faz companhia!
                                Visita-me todo dia,
                                neste ranchinho pequeno...
                                A nossa amizade é tanta, acreditem!
                                Sumi com o tal do veneno...
                                Ainda ando preocupado,
                                se um pouco tem sobrado
                                e o bichinho vai comer ?
                                Todo dia procuro e procuro,
                                com medo de achá-lo duro e
                                mais nada que eu possa fazer .
                                Deus me livre se eu perco o ratinho !
                                Gosto tanto do bichinho,`
                                É meu amigo fiel!
                                Nem liguei, se ele brincando,
                                num dia que eu estava pescando,
                                roeu, sem querer, meu chapéu!
                                Tem um buraquinho...
                                Que bom!
                                Entra vento fresco.
                                Esfria a cabeça da gente!
                                Na roça? Só quem sabe é que conta...
                                O quanto judia um sol quente!
                                Fico até de vigia,
                                ainda há pouco, outro dia,
                                apareceu aqui uma serpente!
                                Quase que come o ratinho,
                                não fosse o seu buraquinho,
                                seria o final da gente...
                                Final? Sim, final !
                                Não suportaria a solidão...
                                Acho que o velho coração,
                                pediria prá morrer!
                                É o único amigo que me restou,
                                é tudo que me sobrou,
                                nestes confins do sertão!
                                Melhor um amigo rato...
                                Uma peste ? É fato!
                                Tem mais peste que o homem
                                que a tudo devasta!
                                Assim, vivo contente
                                e nada separa a amizade da gente!
                                Faço dele um quase humano, acredito!
                                Para não dar briga,
                                ele me faz quase bicho !

publicado por SISTER às 10:49

26
Nov 08

      Hoje quero dobrar os meus joelhos!
      Curvar-me ao teu amor e carinho...
      Abrir minha alma para que tu entres
      e me possuas inteirinho.

      Quero ser entrega pura!
      Banquete exposto em tua cama branca
      e alva,
      para que tu proves de mim,
      por toda beleza de minh'alma!

      Retire o melhor que tenho!
      O homem que sonhas por uma vida...
      Dar-te-ei o melhor, meu amor.
      Bebe da minha fonte esquecida!

      Estava a tua espera...
      Mulher de minha devoção!
      Dou-te o peito para te aninhares,
      o calor das minhas mãos!

      Em mim existe lugares lindos,
      onde jamais alguém caminhou...
      O pior deixei em dias mundanos,
      no corpo que entreguei sem amor!

      Estou aqui de alma inteiro e
      dou-te a chave unicamente!
      Serás a primeira a conhecer-me
      de alma inteiro...
      Não tenhas medo, entra!

      Farta-te de amor verdadeiro!
      Banha-te por completo...
      Desbrava de mim todos os segredos
      a ti manifesto!

      Não tenho medo!
      A ti dou a verdade...
      Sem máscaras e entremeios,
      sem qualquer vaidade!

      Debruças em meu ombro o rosto.
      Entrega-te fadigada dessa busca!
      Sou eu o teu homem, minha amada,
      que te protege e defende à qualquer custa!

      Em minha alma tu habitas tranqüilamente!
      Qualquer medo que tenhas, ignora!
      Saiba...
      Depois que entraste aqui,
      joguei sem pensar a chave fora!

publicado por SISTER às 15:05

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


tags

todas as tags

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO