Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

05
Out 10

"Aquele que não nascer de novo não pode

ver o Reino de Deus."- Jesus. (João, 3:3)



A própria Natureza apresenta preciosas lições, nesse particular. Sucedem-se os anos com matemática precisão, mas os dias são sempre novos. Dispondo, assim, de trezenta e sessenta e cinco ocasiões de aprendizado e recomeço, anualmente, quantas oportunidades de renovação moral encontrará a criatura, no abençoado período de uma existência?



Conserva do passado o que for bom e justo, belo e nobre, mas não guardes do pretérito os detritos e as sombras, ainda mesmo quando mascarados de encantador revestimento.



Faze por ti mesmo, nos domínios da tua iniciativa pela aplicação da fraternidade real, o trabalho que a tua negligência atirará fatalmente sobre os ombros de teus benfeitores e amigos espirituais.



Cada hora que surge pode ser portadora de reajustamento.

Se é possível, não deixes para depois os laços de amor e paz que podes criar agora, em substituição às pesadas algemas do desafeto.

Não é fácil quebrar antigos preceitos do mundo ou desenovelar o coração, a favor daqueles que nos ferem. Entretanto, o melhor antídoto contra os tóxicos da aversão é a nossa boa-vontade, a benefício daqueles que nos odeiam ou que ainda não nos compreendem.



Enquanto nos demoramos na fortaleza defensiva, o adversário cogita em enriquecer as  munições, mas se descemos à praça, desassombrados e serenos, mostrando novas disposições na luta, a idéia de acordo substitui, dentro de nós e em torno de nossos passos, a escura fermentação de guerra.



Alguém te magoa? Reinicia o esforço da boa compreensão.

Alguém te não entende? Persevera em demonstrar intentos mais nobres.

Deixa-te reviver, cada dia, na corrente cristalina e incessante do bem.

Não olvides a assertiva do Mestre: - "Aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus."

Renasce agora em teus propósitos, deliberações e atitudes, trabalhando para superar os obstáculos que te cercam a alcançando a antecipação da vitória sobre a ti mesmo, no tempo...

Mais vale auxiliar, ainda hoje, que ser auxiliado amanhã.




publicado por SISTER às 17:20
tags:

13
Jun 10

"Aquele que não nascer de novo não pode



ver o Reino de Deus."- Jesus. (João, 3:3)



A própria Natureza apresenta preciosas lições, nesse particular. Sucedem-se os anos com matemática precisão, mas os dias são sempre novos. Dispondo, assim, de trezenta e sessenta e cinco ocasiões de aprendizado e recomeço, anualmente, quantas oportunidades de renovação moral encontrará a criatura, no abençoado

período de uma existência?



Conserva do passado o que for bom e justo, belo e nobre, mas não guardes do pretérito os detritos e as sombras, ainda mesmo quando mascarados de encantador revestimento.



Faze por ti mesmo, nos domínios da tua iniciativa pela aplicação da fraternidade real, o trabalho que a tua negligência atirará fatalmente sobre os ombros de teus benfeitores e amigos espirituais.



Cada hora que surge pode ser portadora de reajustamento.

Se é possível, não deixes para depois os laços de amor e paz que podes criar agora, em substituição às pesadas algemas do desafeto.



Não é fácil quebrar antigos preceitos do mundo ou desenovelar o coração, a favor daqueles que nos ferem. Entretanto, o melhor antídoto contra os tóxicos da aversão é a nossa boa-vontade, a benefício daqueles que nos odeiam ou que ainda não nos compreendem.



Enquanto nos demoramos na fortaleza defensiva, o adversário cogita em enriquecer as  munições, mas se descemos à praça, desassombrados e serenos, mostrando novas disposições na luta, a idéia de acordo substitui, dentro de nós e em torno de nossos passos, a escura fermentação de guerra.



Alguém te magoa? Reinicia o esforço da boa compreensão.

Alguém te não entende? Persevera em demonstrar intentos mais nobres.



Deixa-te reviver, cada dia, na corrente cristalina e incessante do bem.

Não olvides a assertiva do Mestre: - "Aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus."



Renasce agora em teus propósitos, deliberações e atitudes, trabalhando para superar os obstáculos que te cercam a alcançando a antecipação da vitória sobre a ti mesmo, no tempo...



Mais vale auxiliar, ainda hoje, que ser auxiliado amanhã.




publicado por SISTER às 11:06
tags:

31
Jan 10

  Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira,
  talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades
  que temos de ser e de fazer os outros felizes.
  Muitas flores são colhidas cedo demais.
  Algumas, mesmo ainda em botão.
  Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida
  inteira até que, pétala por pétala, tranqüilas, vividas, se entregam ao vento.
  Mas a gente não sabe adivinhar.
  A gente não sabe por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e tampouco
  aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor.
  E descuidamos. Cuidamos pouco. De nós, dos outros.
  Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos e horas preciosos.
  Perdemos dias, às vezes anos.
  Nos calamos quando deveríamos falar;
  falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio.
  Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede
  essa aproximação.
  Não damos um beijo carinhoso "porque não estamos acostumados com isso"
  e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro
  sabe automaticamente o que sentimos.
  E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos,
  fechados em nós.
  Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente.
  Cobramos. Dos outros. Da vida.
  De nós mesmos. consumimos.
  Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que a gente.
  E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?
  Isso faria uma grande diferença.
  E o tempo passa...
  Passamos pela vida, não vivemos.
  Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.
  Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás.
  E então nos perguntamos: E agora?
  Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa,
  de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa,
  de agradecer pelo que temos. Nunca se é velho demais
  ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer
  um gesto carinhoso. Não olhe para trás.
  O que passou, passou.
  O que perdemos, perdemos. Olhe para frente!
  Ainda é tempo de apreciar as flores que estão inteiras ao nosso redor.
  Ainda é tempo de voltar-se para Deus e agradecer pela vida,
  que mesmo passageira, ainda está em nós. Pense!...
  Não o perca mais!...

  SEMPRE  QUE  POSSÍVEL


    Onde estejas e por onde passes, sempre que possível,
    deixa algum sinal de paz e luz para aqueles irmãos que estão vindo
    na retaguarda, a fim de que não se percam do rumo certo.

 

publicado por SISTER às 10:59
tags:

13
Out 09

     Levantará o homem o próprio ninho à plena altura, estagiando no tope dos gigantescos edifícios de cimento armado...

      Escalará o fastígio da ciência, povoando o espaço de ondas múltiplas, incessantemente convertidas em mensagens de sons e cor.


      Voará em palácios aéreos, cruzando os céus com a rapidez do raio...

      Elevar-se-á sobre torres poderosas, estudando a natureza e o movimento dos astros...


      Erguer-se-á, vitorioso, aos cimos da cultura intelectual, especulando sobre a essência do Universo...


      Entretanto, se não descer, repleto de amor, para auxiliar a criança, no chão do mundo, debalde esperará pela Humanidade Melhor.


      Na infância, surge, renovado, o germe da perfeição, tanto quanto na alvorada recomeça o fulgor do dia.


      Estende os braços generosos e ampara os pequeninos que te rodeiam.

      Livra-os, hoje, da ignorância e da penúria, da preguiça e da crueldade, para que, amanhã, saibam livrar-se do crime e do sofrimento.

      Filha de tua carne ou rebento do lar alheio, cada criança é vida de tua vida.


      Aprende a descer para ajudá-la, como Jesus desceu até nós para redimir-nos.


      Sem a recuperação da infância para a glória do bem, todo o progresso humano continuará oscilando nos espinheiros da ilusão e do mal.


      Não olvides que, ao pé de cada berço, Deus nos permite encontrar o próprio futuro. De nós depende fazê-lo trilho perigoso para a descida à sombra ou estrada sublime para a ascensão à luz.




    

publicado por SISTER às 07:03
tags:

08
Ago 09

Brilhando por luz de Deus, ainda mesmo nas regiões em que a escuridade aparentemente domina, o amor regenera e aprimora sempre.

 

Podem surgir grandes malfeitores abalando a ordem pública, mas, enquanto existirem pais e mães responsáveis e devotados, o lar fulgirá no mundo, cooperando para que se dissolva a lama da delinquência na charrua do suor ou na fonte das lágrimas.

 

Podem surgir crianças-problemas e jovens transviados de todos os matizes, mas, enquanto existirem professores dignos do nome bendito que carregam, erguer-se-á a escola por santuário da educação.

 

Podem surgir doentes agoniados em todas as estâncias da vida, mas, enquanto existirem cientistas consagrados ao socorro dos semelhantes, levantar-se-á o hospital, como pouso da Bênção Divina para a redenção dos enfermos.

 

Podem surgir criminosos de todas as procedências, gerando reações populares pelos delitos em que estejam incursos, mas, enquanto existirem juízes compreensivos e humanos, destacar-se-á o instituto correcional por cidadela do bem, onde as vitimas da sombra retornem de novo à luz.

 

Podem surgir empreiteiros do ateísmo e do ódio, da intolerância e da guerra, como verdadeiros alienados mentais, mas, enquanto existirem sacerdotes e missionários da fé, com bastante abnegação para ajudar e perdoar, luzirá o templo, nas diversas confissões religiosas do mundo, como autêntica oficina de acrisolamento da alma.

 

É justificável, portanto, que a afeição não repouse, além da morte.

 

Para lá da fronteira de cinza, agiganta-se o trabalho para todos os corações acordados ao clarão do amor sem mácula.

 

Mães esquecidas na legenda do túmulo transformam-se em anjos invisíveis de renúncia, ao pé de filhos desmemoriados e ingratos, para que não resvalem de todo nas tenebrosidades do abismo ; esposas renascidas do nevoeiro carnal apóiam companheiros desorientados no infortúnio, para que se restaurem no tálamo doméstico ; filhos, desligados do corpo físico, tornam, despercebidos, à convivência dos pais, arrebatando-os às tentações do desânimo ou do suicídio, e arautos de idéias renovadoras sustentam-se, em espírito, ao lado daqueles que lhes continuam as obras.

 

Se te encontras, assim, em tarefas de sacrifício, não recalcitres contra os aguilhões que te acicatam as horas, consciente de que a matemática do destino não nos entrega problemas de que não estejamos necessitados.

 

Humilha-te e serve, desculpa e edifica, diante dos que se fazem complicados instrumentos de tua dor.

 

A prova antecipa o resgate, a luta anuncia a vitória e a dificuldade encerra a lição.

 

E embora se te situem as esperanças no agressivo espinheiro do sofrimento, ama os que te não compreendem e ora pelos que te injuriam, porque a Lei conhece o motivo pelo qual cada um deles te cruza os passos, e erguer-te-á o ânimo, aqui e além da Terra, para que prossigas no apostolado do amor, em perpetuidade sublime.

 

Tenham dias repletos de paz

publicado por SISTER às 17:36
tags:

24
Jun 09

"Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?"
- Paulo (I Coríntios, 5:6)
Ninguém vive só.
Nossa alma é sempre núcleo de influência para os demais.
Nossos atos possuem linguagem positiva.
Nossas palavras atuam à distância.
Achamo-nos magneticamente associados uns aos outros.
Ações e reações caracterizam-nos a marcha.
É preciso saber, portanto, que espécie de forças projetamos naqueles que nos
cercam.
Nossa conduta é um livro aberto. Quantos de nossos gestos insignificantes
alcançam o próximo, gerando inesperadas resoluções.
Quantas frases, aparentemente inexpressivas, arrojadas de nossa boca
estabelecem grandes acontecimentos!...
Cada dia emitimos sugestões para o bem ou para o mal.
Dirigentes arrastam dirigidos.
Servos inspiram administradores.

Qual é o caminho que a nossa atitude está indicando?

Um pouco de fermento leveda a massa toda. Não dispomos de recursos para
analisar a extensão de nossa influência, mas podemos examinar-lhe a
qualidade essencial.

Acautele-te, pois, com o alimento invisível que forneces às vidas que te
rodeiam.

Desdobra-se o destino em correntes de fluxo e refluxo. As forças que hoje se
exteriorizam de nossa atividade voltarão ao centro de nossa atividade,
amanhã.

 

publicado por SISTER às 08:14
tags:

22
Jun 09

      Não esmoreças sob o fardo das provações e nem te desanimes na bruma das lágrimas...
      Nas horas mais difíceis da senda terrestre, recorda que Deus virá em nosso auxílio.

      Ouvirás quem te fale dos triunfos retumbantes do mal, convidando-te à cessação de qualquer esforço no bem, sob o pretexto de que o mal se acha escorado pelas enormes legiões daqueles que lhe auferem as vantagens de superfície.
      Não discutas... Servirás incessantemente ao bem comum, na certeza de que Deus virá pelas vias do tempo, repor os bons no lugar justo.

      Assinalarás a presença daqueles que te fazem sentir que os desentendimentos do mundo não se coadunam com o trabalho da paz, com a desculpa de que o homem tem necessidade da guerra como imperativo da evolução.
      Não discutas... Darás todo o apoio à sustentação da concórdia, onde estejas, consciente de que Deus virá, pelas vias do tempo, estabelecer a solidariedade perfeita entre as nações.

      Escutarás longas dissertações, acerca da deterioração dos costumes, inclinando-te a descrer da dignidade social.
      Não discutas... Serás fiel no respeito a ti mesmo e não te retirarás do dever retamente cumprido, na convicção de que Deus virá, pelas vias do tempo, reajustar os setores convulsionados da comunidade humana, recolocando cada um deles em caminha certo.

      Muitas vezes, na própria trilha pessoal, amargos vaticínios te procurarão da parte de muitos companheiros, tentando fixar-te o campo mental nas mais escabrosas questões da caminhada do dia-dia...

      Ouviremos referências inquietantes em torno de compromissos que tenhamos abraçado, de pessoas a quem nos afeiçoamos, de instituições a que oferecemos o melhor conteúdo de nossas aspirações para a vida mais alta...

      Respeitemos a todos os informantes amigos que nos solicitem a atenção para a influência do mal e, tanta quanto nos seja possível, cooperemos com eles na extinção do mal; entretanto, guardemos o coração invariàvelmente na túnica luminosa da esperança, orando e trabalhando, vigiando e servindo, convencidos de que Deus, cuja infinita bondade nos sustentou ontem e nos sustenta hoje, sustentar-nos-á igualmente amanhã.

      Sejam quais forem as aflições e desafios da estrada, nunca te deixes intimidar pela farsa das trevas e faze brilhar no próprio coração a mensagem inarticulada do amor eterno que a luz dos céus abertos te anuncia, cada manhã, de horizonte a horizonte : "Deus virá"!...


 

publicado por SISTER às 12:47
tags:

21
Jun 09

                  Nossos problemas nem sempre são tão grandes quanto a nossa incapacidade de nos desfazermos deles...
                  Qualquer dificuldade se nos agiganta na imaginação, porque nos habituamos a excessiva inquietude em torno dela; sem dúvida, é forçoso criar clima propício à solução pacífica e edificante de crises que surjam e para isso justamente é que necessitamos cultivar serenidade e entendimento.

                  Reflitamos nos problemas cotidianos, categorizando-os por recursos renovadores.
                  Toda questão embaraçosa nos é apresentada qual se a vida nos propusesse um enigma.
                  Aceitemo-lo calmamente e vejamos como aproveitá-lo.

                  Comecemos por uma atitude de compreensão e simpatia, examinando-lhes as facetas.

                  Se nos achamos perante uma situação desagradável, meditemos nela, não como pesar que nos afete individualmente, mas sim como episódio com funções no benefício geral, e ajudemo-lo a encaixar-se no mecanismo das circunstâncias, em louvor da harmonia comum.
                  A pedra que acidentalmente nos fira será provavelmente a peça que sustentará a segurança na construção, e, porque nos haja trazido leve dissabor, isso não é motivo para arredá-la do serviço que deve prestar à coletividade.

                  Assim acontece com a crítica, com a desilusão, com o desentendimento ou com a perseguição gratuita.
                  Recebamo-los sem mágoa e observemos qual a mensagem favorável e útil de que se fazem veículo.

                  Tomada semelhante posição, verificaremos que a crítica nos auxilia, à maneira do inseticida capaz de imunizar a árvore do nosso trabalho contra pragas destruidoras que talvez nos ameacem de perto; aquilo que nomeamos como sendo desilusão passa a revelar-se por transformação imperiosa e benéfica; o desentendimento é a oportunidade que, muitas vezes, favorece a supressão de pequeninos obstáculos, antes de se formarem obstáculos maiores, e a perseguição gratuita habitualmente estabelece condições para que o apoio de nossos verdadeiros amigos se levante junto de nós, para união mais íntima e realizações mais amplas.

                  Nunca te amedrontes diante dos problemas que te apareçam...
                  Na maioria das circunstâncias, eles significam mudança e mudança pede adaptação à realidade para o bem de todos e mais acentuada felicidade para cada um, no nível em que cada um se coloque.
                  À frente de qualquer desafio, recordemos que todo problema é um convite da vida, em nome de Deus, para que venhamos a compreender mais amplamente, melhorar sempre e servir mais.


               

publicado por SISTER às 10:55
tags:

Se já recolheste migalha de luz, diminui a sombra no outro...

            Vê-lo-ás, em toda parte, esperando-te auxílio.
            Esse apela para teu pão.
            Aquele aguarda a sombra de tua veste.
            Esse esmola bagatela de tua bolsa.
            Aquele roga um minuto de gentileza.
            Entretanto, mais que isso, o outro pede compreensão.
            Estava pressionado e feriu-te.
            Falava sem pensar e disse a palavra que te magoou.
            Superestimou a si mesmo e rolou no charco.
            Enlouqueceu e tenta arrastar-te ao desequilíbrio.
            Ainda quando te faça perder as últimas forças nas últimas lágrimas, compadece-te dele e ampara sempre.
            Se soubesse o que sabes, não seria problema.
            Se pudesse sustentar-se, não cairia.
            Muitas vezes terá tido o propósito de acertar, mas, perdido no nevoeiro da ignorância, tomou o erro pela verdade.
            Estimaria, decerto, sentir como sentes; contudo, ainda não recebeu no caminho as oportunidades que recebeste.
            Se te ironiza, oferece-lhe paciência.
            Se te ofende, consagra-lhe paciência maior. Ainda mesmo em se mostrando embaraçado no crime, não lhe roubes o testemunho de amizade e esperança, porque amanhã, colhido no esfogueante tribunal do remorso, lembrará teu consolo como gota de bênção.
            Se és a vítima, compadece-te ainda mais, porque não desconheces quanta dor há na conta da vida para o verbo que amaldiçoa e para a mão que apedreja.
            O outro é pedaço de nossa história, retratista de nossos atos, espelho de nossas aquisições, reflexo de nós mesmos.
            Em casa, é quem te comunga a faixa doméstica.
            No mundo, é o companheiro de experiência, seja na taça da simpatia ou no gral da aversão.
            Desse modo, sempre que impelido ao discernimento do bem, pensa no outro...
            Seja quem seja, será sempre a notícia do bem que vibre em tua alma, porque o bem que lhe ofertes é o bem verdadeiro que a Lei te credita no livro da consciência.

            A árvore é julgada pelos frutos.
            A criatura é vista pelas próprias obras.

            Em todos os sucessos que partilhemos, alguém nos carrega a imagem.
            Aquilo, pois, que fizeste ao outro, a ti mesmo fizeste.

           

publicado por SISTER às 10:54
tags:

            "Por seus frutos os conhecereis." - Jesus. (Mateus, cap. 7, vs. 16.)

            Nem pelo tamanho...

            Nem pela configuração...

            Nem pelas ramagens...

            Nem pela imponência da copa...

            Nem pelos rebentos verdes...

            Nem pelas pontas ressequidas...

            Nem pelo aspecto brilhante...

            Nem pela apresentação desagradável...

            Nem pela vetustez do tronco...

            Nem pela fragilidade das folhas...

            Nem pela casca rústica ou delicada...

            Nem pelas flores perfumadas ou inodoras...

            Nem pelo aroma atraente...

            Nem pelas emanações repulsivas...

            Árvore alguma será conhecida ou amada pelas aparências exteriores, mas sim pelos frutos, pela utilidade, pela produção.

            Assim também nosso espírito em plena jornada...

            Ninguém que se consagre realmente à verdade dará testemunho de nós pelo que parecemos, pela  superficialidade de nossa vida, pela epiderme de nossas atitudes ou expressões individuais percebidas ou apreciadas de passagem, mas sim pela substância de nossa colaboração no progresso comum, pela importância de nosso concurso no bem geral.

            - Pelos frutos os conhecereis" - disse o Mestre.

            - "Pelas nossas ações seremos conhecidos" - repetiremos nós


       

publicado por SISTER às 10:52
tags:

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


tags

todas as tags

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO