Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

28
Dez 10

Amizade!

Como é bom ter amigos, como é sublime esse sentimento quando está no coração, como é gratificante quando naqueles momentos que tanto necessitamos de alguém para nos ouvir, e naquele gesto tão parecido com milagre o amigo aparece, e num sincero oferecimento dispensa o tempo sagrado de sua atenção, nos dando aquele caloroso abraço, afagando nosso coração.


Àquele amigo, que como tantos outros

eu pensei que ia me chutar quando cai,

o meu pedido de perdão, por que foi você meu amigo quem me ajudou a levantar oferecendo-me a sua mão, não se importando em quantos pedaços estava fragmentado meu coração.


E por isso eu digo:

A amizade sincera de nada espera a não ser  amor, é como a flor que sem esperar gratidão oferece o néctar de sua vida a abelha, que tão sabiamente o usa na criação do mel, no ponto exato do sabor.


Veja:

Observe o trabalho incessante da natureza, quando na oferta gratuita, em gesto desinteressado, por amizade nos dá o chão para plantar e no tempo certo faz acontecer a germinação, que na multiplicação da semente, dá continuidade a plantação e esta recebe por amizade a visita da chuva, regando suas raízes protegidas pelo chão.


Observe:

Veja as aves que voam serenas no céu!

Quando cansadas, pousam no galho da árvore amiga, que por acréscimo lhe dá também a semente espalhada na plantação.


Contemple:

Observe o céu! Sinta que para seu descanso lhe oferece o manto da noite estrelada, sem nada lhe cobrar. Isso é amizade, é o gesto de amor gratuito que faz doação sem nada esperar.


Por isso meu amigo, pense na amizade,

pois esta, também é amor e você a encontrará gratuitamente até na fragrância de cada flor.


publicado por SISTER às 11:59
tags:

11
Jun 10

Só Deus conhece a vontade de cada um, só Deus sabe o desejo de cada coração, e só Deus dá o real perdão.

Certa ocasião, o vento soprava forte sobre o mar, transformando o tempo numa forte tempestade, fazendo as ondas do mar cada vez mais fortes.
O barco que aquele jovem navegava, balançava de um lado para o outro, quase a deriva. A tripulação já sobressaltada pelo medo, o pavor tomou conta de todos.
Aquele jovem que se encontrava naquele barco, era o único que transmitia uma serenidade quase de paz. Alguém apavorado chega-se até ele e o interroga, porque, enquanto todos nós estamos aflitos e apavorados diante deste perigo, você nada demonstra? Porque eu ouço a voz do vento, respondeu-lhe, e a voz do vento é a voz de Deus. Aquele homem ajoelhou-se e começou a rezar, quando o jovem lhe disse, levanta-te porque Deus já ouviu minhas preces e já perdoou o pecado de todos deste barco, ninguém irá sucumbir, ninguém irá morrer. Aos poucos a tempestade foi se acalmando, permanecendo apenas uma silente voz, uma melodia do vento, a voz de Deus.
Quando o homem que havia se ajoelhado diante do moço, chegou a sua casa, nada relatou a sua família, mas, toda vez que o vento se tornava mais forte ele ficava calmo e sereno, com o olhar fixo para o céu. Sempre que essa atitude acontecia, sua esposa lhe perguntava, porque sempre que o vento sopra forte você fica assim?_ Porque quero ouvir a voz de Deus, respondeu-lhe, sem saber, entretanto, que nem todos estão preparados para ouvir a voz de Deus.


publicado por SISTER às 10:29
tags:

O amor é como um lindo jardim,
se dele cuidamos com zelo e carinho,
ele nos responde presenteando-nos
com belas e coloridas flores,
mas se o deixamos por conta do acaso,
certamente o veremos triste findar.
O amor tende a esmaecer, assim
como as flores desse
mal cuidado jardim, com certeza
deixarão de nascer e sem dúvidas,
seu fim é morrer.
Quantas vezes pedimos no
silêncio de nossas preces,
no recôndito de nosso coração,
para conhecermos ou encontrarmos
o amor e por tanto o
querermos ele se nos apresenta,
belo e sorridente, e nos sentimos felizes
por o ter encontrado ou por ele se nos
ter apresentado.
Mas muitas vezes também,
descuidamos-nos do
necessário zelo desse amor, pois até a mais
primorosa jóia que recebemos de presente,
carecem de cuidados e atenção,
deve ser zelada e cuidada com carinho
e amor, jamais descuidada e esquecida,
pois assim, pode cair em outras mãos,
que certamente a guardará com carinho,
zelo e amor.
Se você, caro(a) amigo(a), tem um jardim,
zele por ele para que possa lhe
desabrochar lindas flores, mas se você
pediu e encontrou o amor,
dê-lhe atenção e carinho,
pois não tenha dúvidas,
ele é como uma flor, linda e cobiçada,
mas cercada de espinhos.

publicado por SISTER às 10:25
tags:

07
Out 09

Em certa ocasião uma criança me perguntou,
tio o que é o amor? Surpreso e admirado
olhei para o chão, voltei meu olhar
para o céu e respondi:
Amor é o solo em que pisas,
é o ar que respiras,
e o céu que a nossa alma acolhe;

Amor é a noite que dorme nas nebulosas da paz,
é a canção das estrelas sob a regência
do universo, num eterno coro de sinfonia,
é a criança que dorme em berço de luz,
num terno cantarolar de harmonia;

Amor são as divisórias da alma,
esquadrinhadas no coração.
É o cavalgar da emoção
indo ao encontro da liberdade...
Amor é o recordar de outras vidas
embaladas na saudade;

Amor meu doce anjinho,
é o amar constante do irmão solitário,
é estar sempre alerta quando o aviso chegar,
é estar solidário com o coração,

quando ele deseja amar.

publicado por SISTER às 07:04
tags:

30
Set 09

      O tempo passa, mas para nós ele parece estacionado por que não o vemos passar.

      Cinquenta, oitenta ou cem anos não é um tempo longo demais para a vida que Deus nos destinou.

      Talvez o momento mais feliz de uma vida, seja aquele em que nos tornamos pais e mães.

      O amor que dedicamos aos nossos filhos não tem tamanho, por que é impossível medi-lo.

      A dedicação, os cuidados e a proteção talvez não existam comparação.

      Mas o tempo passa, o tempo caminha invisível, porem numa velocidade constante, e os filhos crescem. Cada um toma consciência de sua própria vida e segue o seu caminho, prospera no caminho escolhido e o tempo passa. Dos pais quase nem se lembram mais. Dos cuidados, da proteção e do amor, já não mais precisam, por que os conselhos lhe parecem ultrapassados, os velhos são por demais cafonas, não lhes acompanham no tempo.

      De repente o tempo lhes presenteia com filhos também, e estes passam a merecer e ter tudo o que eles já tiveram também. E o tempo passa, e com o tempo chega a cafonice, a ultrapassagem das épocas e até dos costumes. E então, só então os filhos parecem entender que o tempo caminha sem parar, só então eles percebem que alcançaram a idade da cafonice, a idade em que, para muitos filhos, os pais são atropelos e pedras que apareceram em seus caminhos. Mas eles percebem também que o tempo passou, o tempo caminhou, e com ele tudo mudou, mas só uma coisa não mudou, o amor que tivemos com os filhos continuou o mesmo, por que o tempo passou, mas nunca saímos da fonte do amor, a fonte que nos deu a vida entremeada de luz, essa luz que iluminou nossos antepassados, a nós, aos nossos filhos e aos filhos de nossos filhos, essa luz santa e bendita, a luz do amor.


 

publicado por SISTER às 07:53
tags:

11
Ago 09

            Se eu posso conservar o meu

             bom senso e a calma,

            neste mundo a girar,

            em que o louco a delirar sou eu;


            Se eu posso guardar no coração

            onde nasceu  e floresceu

            um amor que é só meu;


            Se eu posso amar,
            sem esperar a mesma recompensa em amor;
            Se eu posso suportar no coração,
            aquela torpe traição,

            transporte de tanta dor...


            Então ó alma minha!
            Alegra-te e te acalma,
            pois não precisas mais nada esperar,
            só tu transportas tanto

            amor para aflorar...


              Se na infame ingratidão,
            perdeste o amor dos teus sonhos,
            mas com tuas lágrimas lavaste

            as manchas desse amor!
            Então te alegra alma querida,
            já tens morada certa

            e santa guarida,
            és amada pelos anjos iguais teus,
             Já estás tão próxima do amor de Deus.

publicado por SISTER às 13:40
tags:

23
Jul 09

      De um modo geral a vida que levamos hoje é, deveras, muito diferente da que tínhamos tempos atrás. Em outros tempos não existia a preocupação com os raios ultravioletas. Quando íamos à praia, não tinha horários apropriados para o banho de mar, o horário era em qualquer hora e quanto mais sol melhor. Não tínhamos que nos preocupar em passar os cremes protetores, nem os bronzeadores, por que tudo isso era ao natural. O único protetor que existia era o guarda-sol com o cabo fincado na areia, para se ter aquela sombrinha deliciosa do momento. Eu creio que os cremes protetores da pele nem existiam, talvez por que não eram necessários. Hoje, até dentro de nossa casa recomenda-se o uso de protetores, para quando sairmos a nossa varanda ou ao quintal estejamos protegidos contra os raios ultravioletas. O cabelo se existia tingimento, era o natural. Os grisalhos acentuavam as cãs e o brilho dava o retoque final para o deleite da satisfação pessoal. Talvez de tanto procurarmos a fonte da juventude, a descoberta nos chegou com as agressões às camadas protetoras de ozônios. Abertura ali se fez, e cada dia que passa o alargamento se expande para a satisfação dos industriais dos cremes protetores. A indústria cresce e fica mais rica, novos produtos são lançados com indicação de horário, este é para a parte da manhã e aquele para a parte da tarde, e por aí vai, enquanto o ser humano fica mais pobre. Sim, fica mais pobre da proteção natural que a natureza criou, e que, infelizmente, o homem tenta destruir.

      Antigamente as rugas da face ou das mãos, era um motivo de orgulho pelos anos já vividos, era um distintivo que impunha respeito e carinho aos mais novos, era um motivo de satisfação pela satisfação de ter o belo natural, que o tempo presenteou. Enquanto que hoje, nesse tempo que chamamos de moderno, os cremes antirugas são lambuzados diuturnamente na face e nas mãos, como se quiséssemos impedir a progressão da beleza natural, que os anos transcorridos nos querem maquiar.

      Não se iluda, pois o que chamamos de progresso, não é nada mais do que um terrível retrocesso imposto ao homem, pelo próprio homem.

 

publicado por SISTER às 11:21
tags:

31
Mar 09

  Meu amor não é deste mundo,

            nem minha paz também.

            Amante das estrelas, sou alguém que sonha com o luar,

            sou aquele que vive do amor e sente a paz em qualquer lugar...



            Sou ainda, aquele que busca no entardecer a equivalência do belo,

            e no elo da quietude, sou estrela solitária na mansuetude do anoitecer.



            Sou brisa que vaga na solidão,

            pirilampo a cintilar...

            Sou estrela no firmamento a brilhar,

            recordação do que ficou,

            sou nada mais que um simples coração querendo amar.



            Na certeza do que sou,

            flutuo além, acima da dor...

            Sou alguém só,

            mas que ainda crê na arquipotência

            do amor.









 

publicado por SISTER às 09:35
tags:

16
Jan 09

Volta! Assim começava aquela carta.

Era uma manhã promissora e o dia já se mostrava tão belo.

Naquele céu azul, iniciava-se a formação de algumas nuvens. As palmeiras cor da esperança balançavam suas largas folhas, quase num bailar cadenciado movido pela brisa matinal.

Minha visão se deslumbrou ao olhar o horizonte, de onde surgiam pássaros coloridos como fossem lindos bibelôs a enfeitar o céu.

Eles estão voltando pra casa, disse-me o carteiro. Não entendi, exclamei. Nesta época, depois de uma longa jornada eles sempre voltam pra casa, disse ele. Eu nem tinha notado a presença do carteiro diante do vislumbre daqueles lindos pássaros a voarem no céu.

Uma carta para você, disse-me ele. Obrigado foi minha resposta, sem tirar minha visão do horizonte.

Por algum tempo eu ainda fiquei observando aqueles pássaros, quando me lembrei da carta.

Logo fui para o meu pequeno cômodo, onde me sentei em um banquinho de madeira.

Abri aquela carta que começava assim:

Volta, volta logo querido, pois essa saudade consome minha alma. Ao me alongar na leitura daquela carta, parecia que meu coração se estreitava cada vez mais. Não pude segurar as lágrimas, que já começavam a deslizar em minha face. Eu estava a milhares de quilômetros de meu lar. Tinha sobre meus ombros uma grande responsabilidade de uma missão do meu país, cuja missão eu já tinha cumprido com êxito, apenas aguardava as ordens para voltar.

No dia seguinte outra carta chagava-me as mãos, desta vez era a ordem para que eu partisse de volta pra casa.

Olhei para o céu novamente na esperança de novamente ainda ver aqueles lindos pássaros, que voltavam para casa, segundo o carteiro, mas foi em vão. Quem sabe eles já não estivessem em suas casas, pensei. Agora chegou a vez deste outro pássaro, sem asas, voltar para casa.

Nem tive tempo de responder a carta de minha mãe, apenas lhe enviei meus pensamentos: Estou de volta pra casa, querida.

 

publicado por SISTER às 11:15
tags:

05
Jan 09

      
      Assim na alma foi projetado,
      no coração erguido e acabado...

      Assim foi feito a arquitetura de um amor.
      Alicerçado foi, com a essência de uma linda flor.
      
      De um farol de luz, iluminando o coração,
      no esplendor da emoção, elevou-se essa
      bela construção.
      
      O alicerce foi aberto com
      a ferramenta do puro sentimento.
      Não houve interrupção,
      parada, nem lamento.
      
      Assim foi feito a divisória,
      para ficar gravado na história,
      e de uma forma que nada possa essa construção abalar,
      quando ali estivermos só
      nós dois a nos amar.
      
      O fino e belo acabamento,
      foi concluído com a textura
      do nosso pensamento.
      
      Depois do prédio construído,
      com linda cor pintado e polido,
      bela ficou nossa construção,
      erguida aqui dentro,
      no interior do nosso coração.
      

publicado por SISTER às 08:37
tags:

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


subscrever feeds
tags

todas as tags

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO