Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

01
Jan 11

Eros, o deus do amor, plasmou minha vida
Quando, ao acaso, eu escutava contigo
Linda música que lembra uma bebida...
Fez de mim teu homem, no lugar de amigo!

Como enleva aquela noite relembrar!
Reviver a música de minha vida...
Voltar àquela amizade singular,
Então repleta de paixão recolhida.

A tal música nos pôs em sintonia!...
E os corações batendo à mesma frequência.
Paixão intensa a partir daquele dia
E palavras de amor com mais eloquência.

Foi tudo tão natural e de relance.
Brindamos com champanhe, a nosso critério.
A simples amizade virou romance
E o nada se transformou em caso sério.

Sei que foi algo que só Eros decreta,
Dádiva que rompeu minha solidão;
Chegou-me, assim, a alma gêmea completa,
Que se alojou de vez em meu coração.


publicado por SISTER às 15:44

Nosso idílio escreve uma história de amor.
De princípio, de um meio e final feliz.
Começou faz tempo e mantém o fulgor,
Numa convivência de lindo matiz.

Parece que foi ontem a tal canção
Que acoplou nossas almas tão de repente.
Nossos corações se uniram, desde então,
Em linda história de amor sem precedente.

Hoje, te amo como da primeira vez.
Sinto o sangue ferver, forjo fantasias.
Pairo nas nuvens ao sabor de tua tez,
Que atiça meu ímpeto todos os dias.

És bálsamo que cura minhas feridas,
Tu pões brilho em meus olhos quando sorris.
Encarnas o tônico de nossas vidas,
De teus dogmas humanos, sou aprendiz.

Tudo que é meu é teu, sim!... E vice-versa!
Reciprocidade cabal, verdadeira...
Solidários quando a fase for adversa,
Vivemos a dois bem à nossa maneira.

Passado e presente nos impõem a proeza
De um futuro que será lindo e risonho.
Convicto, jamais me afastei da certeza
Da realização total de nosso sonho.

Eu sei que estamos juntos nesta existência
E creio retomar tuas mãos nas Canduras,
Nosso amor, sob respaldo da Providência,
Prosseguirá eternamente; nas Alturas.


publicado por SISTER às 15:43

Lembro-me bem daquela praia deserta,
Quando a noite, enfim, assassinou o dia;
A estrela-d'alva foi o sinal de alerta
Tocante ao cenário que nos envolvia.

Ao tempo em que o negrume abria seu manto,
As estrelas fulgiam o firmamento.
A lua cheia, como que por encanto,
Sintonizou-nos no mesmo pensamento.

O barulho do mar fez papel de orquestra,
Coadjuvado por afrodisíaco vento.
Dança ao luar foi o aperitivo extra
Para um amor total em pleno relento.

Dançando, eis que caímos na horizontal.
Rolamos na areia bem abraçadinhos.
Percorremos o traçado natural,
Éramos ali dois amantes sozinhos.

Da dança ao luar... nosso sonho, afinal.
Aos poucos, nos vimos em plena nudez.
Surgiu, indomável, o instinto animal
E a lua banhou nossa primeira vez.


publicado por SISTER às 15:42

05
Nov 10

¡Sí!... Es a partir de ella que empieza la vida...
¡Mujer es génesis, la concepción!
La superprotectora del embrión,
En sublime encargo, por Dios escogida.


En su vientre, el feto bajo protección.
¡Da a luz!...    ¡La especie que se perpetúa!
Amamanta... ¡Misión exclusiva suya!...
Mientras crece, la cría, le da educación.

Del hijo, vive las victorias y fracasos.
À veces, en el lugar de madre y de padre;
Mas es ahí que siempre se sobresale
El instinto de mujer al dar los pasos.


¡Mujer es vida... Un ser polivalente!
Ora madre, ora compañera, amante.
Detalles que el hombre conoce bastante...
¡Sin ella, no sería un sobreviviente!


¡Mujer es vida... Se revistió de gloria!
Competencia le resultó en conquista.
Y que ahora en la sociedad ella es vista,
Tanto como el hombre, haciendo la Historia.


publicado por SISTER às 13:54

Sim!... É a partir dela que começa a vida...
Mulher é gênese, alfa da concepção!
Ela é a superprotetora do embrião,
Em sublime encargo, por Deus escolhida.


Em seu ventre, traz o feto em proteção.
Dá à luz!... A espécie que se perpetua!
Amamenta... Missão exclusiva sua!...
Enquanto a cria cresce, dá-lhe educação.


Do filho, vive as vitórias e fracassos.
Às vezes, no lugar de mãe e de pai;
Porém, é aí que sempre se sobressai
O instinto de uma mulher ao dar os passos.


Mulher é a vida... Ela é um ser polivalente!
Ora é mãe; depois é a companheira e a amante,
Detalhes que o homem conhece bastante...
Sem ela, não seria um sobrevivente!


Mulher é a vida... Se revestiu de glória!
Competência lhe resultou em conquista.
Eis que agora na sociedade ela é vista,
Pari passu ao homem, a fazer a História.


publicado por SISTER às 13:53

01
Nov 10

Por mim, eu estaria a teu lado agora,
Dando matizes lindos a nosso amor.
Tu no teu papel de mulher e senhora
E eu, afinal, teu homem e protetor.

Quero, sob o mesmo teto, no aconchego,
Que desfrutemos, "in loco", do ombro amigo;
Da ansiedade atual convertida em sossego;
Da realização cabal de um sonho antigo...

Espera-me! Somos reféns da distância.
São provações que a sina nos reservou...
Quiçá possamos ter, ainda em abundância,
O que até hoje o fadário nos negou.

Vives diuturnamente em meu pensamento
Mas quero fazer-te viver em meus braços.
Espera-me! Que eu também já não aguento
Toda esta distância com seus embaraços.

Espera-me!... Que nosso amor prevaleça!
Coloca nossos fluidos em comunhão...
Como vou tirar-te de minha cabeça
Se, pelos Céus, não me sais do coração?!


publicado por SISTER às 13:48

23
Ago 10

¡No!... ¡No fue éste el Mundo Virtual
Que un tiempo atrás me acogió con dulzura!...
Que añoranza de aquellos gestos llenos de hermosura,
Predominantes en el relacionamiento personal.

No había este ruido en el ambiente cibernético,
Prevalecía  la amistad en todas las situaciones,
Los mensajes sanos aproximaban a los corazones,
En un intercambio menos ríspido y más poético.

Vamos a darnos las manos y retomar la fraternidad,
Devolverle al contacto virtual el instrumento de paz,
Reeducar al internauta como un mediador eficaz
Para acabar con los conflictos y tanta atrocidad.

Hagamos de esta red universal una gran corriente.
¡Vamos a darnos las manos!... ¡La amistad pide pasaje!
Dejemos la crítica contumaz en pro del homenaje.
¡Abajo la maledicencia, muy a la moda, últimamente!

Con toda certeza, no fue este Mundo de la Virtualidad
Que nos dio tantos amigos luego de nuestra llegada.
La nave está fuera del camino y la tripulación desorientada,
¡Queremos la paz de nuevo, todo volviendo a la normalidad!

publicado por SISTER às 14:05

Não!... Não foi este o Mundo Virtual
Que tempos atrás me deu boas-vindas!...
Tenho saudade daquelas atitudes lindas,
Predominantes no relacionamento pessoal.

Não havia este bulício no ambiente cibernético,
Prevalecia  a amizade em todas as situações,
As mensagens sadias aproximavam corações,
Num intercâmbio menos ríspido e mais poético.

Vamos dar as mãos e retomar a fraternidade,
Devolver ao contato virtual o instrumento de paz,
Reeducar o internauta como um mediador eficaz
Para acabar com os conflitos e tanta atrocidade.

Façamos desta rede universal uma grande corrente.
Vamos dar as mãos!... A amizade pede passagem!
Deixemos a crítica contumaz em prol da homenagem.
Abaixo a maledicência, tão em voga, ultimamente!

Com toda certeza, não foi este o Mundo Virtual
Que nos deu tantos amigos logo à nossa chegada.
A nave está fora de rota e a tripulação desnorteada,
Queremos a paz de novo, tudo voltando ao normal!



publicado por SISTER às 14:03

07
Jul 10

Lembro-me bem daquela praia deserta,
Quando a noite, enfim, assassinou o dia;
A estrela d'alva foi o sinal de alerta
Tocante ao cenário que nos envolvia.

Ao tempo em que o negrume abria seu manto,
As estrelas fulgiam o firmamento.
A lua cheia, como que por encanto,
Sintonizou-nos no mesmo pensamento.

O barulho do mar fez papel de orquestra,
Coadjuvado por afrodisíaco vento.
Dança ao luar foi o aperitivo extra
Para um amor total em pleno relento.

Dançando, eis que caímos na horizontal.
Rolamos na areia bem abraçadinhos.
Percorremos o traçado natural,
Éramos ali dois amantes sozinhos.

Da dança ao luar... nosso sonho, afinal.
Aos poucos, nos vimos em plena nudez.
Surgiu, indomável, o instinto animal
E a lua banhou nossa primeira vez.


publicado por SISTER às 11:57

Lembro-me bem daquela praia deserta,
Quando a noite, enfim, assassinou o dia;
A estrela d'alva foi o sinal de alerta
Tocante ao cenário que nos envolvia.

Ao tempo em que o negrume abria seu manto,
As estrelas fulgiam o firmamento.
A lua cheia, como que por encanto,
Sintonizou-nos no mesmo pensamento.

O barulho do mar fez papel de orquestra,
Coadjuvado por afrodisíaco vento.
Dança ao luar foi o aperitivo extra
Para um amor total em pleno relento.

Dançando, eis que caímos na vertical.
Rolamos na areia bem abraçadinhos.
Percorremos o traçado natural,
Éramos ali dois amantes sozinhos.

Da dança ao luar... nosso sonho, afinal.
Aos poucos, nos vimos em plena nudez.
Surgiu, indomável, o instinto animal
E a lua banhou nossa primeira vez.

publicado por SISTER às 11:47

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO