Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

31
Ago 08

Você tem uma vida para construir: é a vida que Deus lhe deu.

 

Precisamos do auxílio dos outros a fim de seguir adiante; no entanto, cada qual de nós deve caminhar por si mesmo.

 

De qualquer modo, a lei de ação e reação funcionará, entregando-nos aquilo que oferecemos de nós.

 

Seja você mesmo, evitando disfarces que lhe complicariam a própria existência.

 

Aceite os outros tais quais são, com as qualidades e fraquezas que lhes assinalam a vida, para não se perder em queixas injustas.

 

Sonhe, mas raciocine e raciocine agindo.

 

Conserve a certeza de que pagaremos sempre pelos bens que obtivermos.

 

Não se envergonhe de falhar temporariamente: entretanto, erga-se para servir com mais segurança, na base da experiência.

 

Reconheça o seu poder mental de modificar as circunstâncias ou criá-las e use-o com o seu próprio esforço no bem.

 

Não se espante com as dificuldades no auto-aperfeiçoamento; a Divina Sabedoria não nos criou para a função de robôs no mundo e sim para que lhe venhamos a refletir o brilho e o amor, na luz da imortalidade.


 

publicado por SISTER às 08:25

Nas velhas folhas, hoje amareladas,
                  Deste meu fiel caderno de versos,
                  São tantas notas aqui registradas,
                  São tantos sonhos do meu universo.

                  São tantas dores e contos de fadas;
                  São linhas simples, poemas complexos;
                  Nas entrelinhas, histórias contadas,
                  Nos cantos rubros, da alma, os reflexos.

                  E da janela, agora entreaberta,
                  O senhor vento as folhas revolve,
                  Sopra os meus versos de forma incerta

                  E enquanto d'alma a poeira remove,
                  Tantas lembranças .em mim, me desperta
                  Que em meus sonhos de novo me envolve.

 

publicado por SISTER às 08:24

Acordo para a manhã, com o sol a
      raiar-me nos olhos, novas providências,
      outros caminhos, teu retrato de
      encosto ao meu peito.

      Levanto-me e vou à janela; uma brisa
      suave invade todo o meu ser, atreito
      às mais leves fragrâncias, emanadas do
      jardim mais em baixo: cheiro de terra e
      de beijo, que ainda guardo, da noite ida.

      Encontrando-se o céu, de azul anil forte,
      dou por mim a imaginar-me, atravessando
      todos os Oceanos, que ainda teimam em
      separar-nos, mas que eu faço para que
      sejam logo ali, bem pertinho de nós:
      pés descalços, por sobre a areia do mar.

      Absorvido por todo este encantamento,
      noto ao longe, teu olhar perdido, para além do mar,
      até onde este toca com o céu e transmite
      perfeita harmonia, de paz e serenidade:
      em que não ouso interromper, tua graça de mulher.

      De repente, invadida por ilustres e brincalhonas
      gaivotas, que cercam-te por todos os lados,
      dás por findo teu lauto vislumbre, e, de novo,
      voltas para mim, sorrindo: com aquele sorriso
      traquinas de criança, cheia de vida e de sonhos.

      Só quem não sonha não alcança, o dia de amanhã!


   

publicado por SISTER às 08:23

Cuide da Terra com carinho
e todo universo agradecerá
o gesto caridoso que com certeza,
mostra o respeito à natureza...

Cuide das crianças e dos bichinhos,
entenda que deles também é
o Reino dos Céus apregoado por Jesus!
Todos filhos do Pai, como Cristo de José!

Cuide dos velhinhos, respeite os passarinhos,
entenda que a vida é união!
Desenvolve em ti o perdão!
Difícil, mas não impossível condão...

que eleva o homem à sublimidade
mais cedo ou mais tarde!
Ele expressa o Amor,
o único consolador dos corações!

Cuidar é proteger, humildemente
construir laços, evitar sofrer!
Cuide do sorriso, do afeto,
acaricie a alma de mansinho...

Assim, amando e sendo amados,
os viajantes do universo, acordados,
verão a beleza da viagem
que conduz o espírito a Deus, ser alado!

publicado por SISTER às 08:21

Faztempo que vivo em um tormento.
      em um lamento
      faz tempo que meu coração
      chora sem razão
      que minha alma
      ja não tem calma
      e que ja não dorme em uma cama
      Faz tempo que estou buscando
      motivos para dizer-te
      o muito que estou te amando
      e dizer-te que já nao posso ficar sem ver-te
      Faz tempo que a fantasia
      carga pesada me joga
      nesta vida, vida minha
      Faz tempo que vivo 
      pensando en ti
      querida..meu amor.
      faz tempo que vivo
      fazendo loucuras
      por ti, meu amor.
      Faz tempo que jogo
      com o pensamento
      e sonho com esse momento
      do qual és dona,
      és a dona
      de meus beijos, de minhas caricias,
      e de meu coração,
      mas já faz tempo
      que em meu coração te levo

      E levarei para sempre


    
           

publicado por SISTER às 08:20

Estou formosa pra você
                                Sou toda seu bem querer
                                Que ansiou esperar pra ver
                                Todos esses anos para ser
                                Ser só sua, até morrer...

                                Quando estremeço meus desejos
                                Quero muito, muito mais beijos
                                E alucinar todas as loucuras

                                Que um dia, em tais procuras
                                Ansiosos, esperando ensejos...
                                Com as súplicas do meu cantar
                                Pálpebras cerradas ao ensaiar
                                O amor que quero lhe ofertar
                                Venha, formoso, venha brincar
                                De tontear, venha me acariciar...

                                Venha, venha comigo na janela
                                Pra sentir a minha espera
                                Em torrentes de paixão que envio
                                Alentos de anseios, uma quimera
                                Venha pra conhecer a minha espera...
                                Tons melódicos vão surgindo
                                Notas e arpejos vêm pedindo
                                Nestas cirandas angelicais
                                Nestas volúpias tão virginais
                                Os anjos se escondem, querendo ver mais...

                                Anjos do meu bem querer
                                São imagens loucas pra ver
                                Momentos tão nossos, enrubescer
                                Ficam espreitando os segredos
                                Espantados, invejando surpresos, entender... Vento, ventando nos meus cabelos
                                Balançando as ondas que vêm trançando
                                Desejos, Idéias no coração
                                Deixe meus cachos se embaraçando
                                Nas mão do amor me embriagando...

publicado por SISTER às 08:19

      Alienígena, deixe a nossa Amazônia!
      Cuide, em sua terra, dos crimes ambientais
      Praticados por seus vesgos ancestrais,
      Artífices da poluição, da acrimônia.
      Não nos subestime por erros alheios,
      De larápios de fora já estamos cheios...
      Nós somos um país e não uma colônia.



      O "Primeiro Mundo" foi o vanguardeiro
      Nesta decomposição do ecossistema
      E agora pensa resolver o problema
      Com o "Inferno Verde" e seu verde-celeiro.
      Gringo voraz, procure outra solução!...
      Sem essa de internacionalização
      De parte do território brasileiro!



      O Planeta quer um estudo profundo,
      Impondo obrigações às "Grandes Potências",
      Que precisam arcar com as conseqüências
      E reverter de vez este ambiente imundo.
      Que se salve a vida na face da Terra
      Sem atritos ideológicos, sem guerra...
      Sem tirar o verde do "Pulmão do Mundo".




    

publicado por SISTER às 08:18

     Laivo a laivo, como suave brisa, que
                  não ofende a paisagem, miles de cores
                  enriquecem, tudo o que nos cerca,
                  numa manifestação humilde, da mãe
                  natureza, para com seus filhos dilectos.



                  As árvores tocam o cume das nuvens, e,
                  mas em baixo, mas não menos
                  insignificante, outra vida se mostra
                  propensa, a dar o melhor de si, em suas
                  águas bêbedas e cristalinas.



                  Imensos rios de minha infância, onde
                  doira o sol, pela manhã, convidam-nos
                  a neles mergulhar, como num rito ancestral,
                  onde a história ficou guardada,
                  para sempre, em suas margens, de algas
                  verdes e ramos retorcidos.



                  E nesta pedra, onde me sento, mais ao
                  Sul, consigo imaginar as naus, partindo
                  à descoberta de novos mundos, riqueza
                  de nossa multiplicidade.



                  Argonautas de nosso próprio presente,
                  saibamos ser dignos desta vida, semeando
                  o fruto bom, para sorriso e ventura,
                  de nossas crianças, pintando no papel,
                  pontinho por pontinho, um Mundo mais
                  belo, a todos por direito.



                  Tudo é cor e beleza, grato, seja o Mundo!
                  as flores e as crianças.



                  E no meu jardim, apenas reina o amor,
                  todo feito de cuidado e maestria, porque
                  lá pus, em morada permanente, a figura
                  de minha amada.



                  E quando me deito, só um pensamento
                  me ocorre: vale a pena viver, neste Mundo,
                  tão colorido e justo.



                  Por isso eu digo: colhamos seus ensinamentos,
                  de milénios e milénios, não dando passos,
                  maiores do que as nossas pernas: e sejamos,
                  no mínimo, humildes como ele.




                 

publicado por SISTER às 08:16

Voce vinha sorrindo
            com passos ligeiros,
            rebolando... seduzindo
            com um vestido colado
            enaltecendo esse corpo sonhado ,
            me presenteando o ouvir
            com ternas palavras sussurradas...
            E nas noites de manto de prata
            no ceu de pontos azuis bordado
            como o brilho de suas pupilas
            de azuis piscantes,
            tão brilhantes
            como facetada safira,
            como o encanto do seu sorriso,
            e sua voz.. como doce cantiga...
            Me abraça..me acaricia.
            me amolece com seus beijos.
            que me vêm primicias...
            Ahhh... e a ternura dos suas mãos!
            O afago do seu olhar?
            ao mirar os meus,
            insinuando me entregar
            todos seus segredos...
            emoldurados por seus cabelos.
            Me entorpecendo de desejo.
            Me abraçando de sensações
            cativando todos meus sentidos,
            me dizendo...te quero,
            iluminando minha noite,
            nas chamas de suas caricias,
            nas trocas dos desejos,
            azuis...no manto prateado...

            se aproxima devagarzinho....
            me toma... me entrego...

            Que falem todas palavras,
            nossos olhos, no nosso mirar


       

publicado por SISTER às 08:15
tags:

Por estepes, jardins e planícies,
      voltam as flores a reinar, seu poiso
      guerreiro e colorido, engalanando
      as terras de doces fragrâncias.

      O ar tornou-se muito menos rarefeito
      e a vida respira a plenos pulmões,
      depois de a natureza ter acolhido sua
      filha dilecta.

      Tudo descansa em paz agora; crescem as
      árvores, até ao cume das nuvens; correm
      rios, ziguezagueando, até aos braços
      das margens, e, o mar, ora revolto, ora
      tranquilo, acompanha-o as gaivotas,
      por cima de suas ondas cavalo.

      Num parque perto daqui, quase
      tropeçando nos meus versos, crianças
      sorriem a tudo e a todos, caindo aqui,
      levantando-se mais à frente.

      Não é isto a vida. afinal?


 

publicado por SISTER às 08:14

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






subscrever feeds
tags

todas as tags

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO