Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

31
Mai 07

O que trabalha para aquisição da justiça,

está sujeito a ser tentado com mais freqüência pela perversidade.

Não interessa às trevas a harmonia.

Se o mundo é de provas e expiações,
os que nele se encontram estagiando,
notam bem quais são as suas lutas para a freqüência do bem.

Parar de lutar significa morrer.

Quem principiou nas mudanças
é interceptado pela própria natureza animal.
 
Eis a guerra interna travada, em que não devemos esmorecer.

A verdade liberta; indispensável conhecê-la.

Os que começam a ser iluminados
sofrem adiante a corrigenda da consciência e do arrependimento.
 
Faça nascer novas forças para recomeçar.
 
Ganhe tempo não precisando arrepender-se.

Não passe um dia sem lembrar-se de Jesus;
Ele é a nossa segurança.

O perverso é ignorante.
 
Oremos por ele,
esperando que Deus o abençoe com o entendimento.

Quem se encontra seguro na justiça,
o amor faz do seu coração um ninho permanente.

Os nossos pensamentos são mananciais
e em torno de nós vibra o que escolhemos na vida.

Se conhece Jesus, mude de vida,
rompendo barreiras e seguindo Seus passos,
que a luz não se fará esperar.

Cumpre entender o que fomos chamados a realizar pelos benfeitores espirituais, que a misericórdia é muito maior do que pensamos.

Vamos investir no amor,
que ele é semente de luz, saída das mãos de Deus.

Pelo que chega de pensamentos em sua mente,
notará de onde eles procedem.

A sua vigilância deve ser constante, para a sua própria paz.

A perversidade somente prejudica o perverso,
pois é lei de Deus que recebamos o que damos.

Conserve o seu manancial de pensamentos com vibrações de amor,
para que a caridade seja vida permanente em seu coração.

Carlos / João Nunes Maia
formados pelo que somos
e cedem às insinuações das trevas,
publicado por SISTER às 06:13

Tudo é provisório aqui no mundo.

 

Só a verdade permanece vencendo as restrições do tempo.
 

Os  sentidos  enganam e a  razão  endurece.
 

A  Verdade, porém, se conserva sempre a mesma.
 

A  novidade cessa, quando a curiosidade cessa.
 

A verdade, todavia, continua eternamente.
 

A sabedoria humana é falível
e não se limita às contingências das impressões pessoais.
 

Os preconceitos, freqüentemente, se destroem.
 

A verdade pode ser torcida temporariamente, mas não pode ser modificada.
 

A intransigência acaba cedendo ao fim de algumas reencarnações.
 

Mas a verdade se conserva indene durante toda a eternidade...
 

Jacques Garnier
 
publicado por SISTER às 06:13

Eu vivo de amor somente.
Por amor entrego a mente
ao carinho  de um abraço.
Quando me deito em teu braço,
parece que tudo se acalma...
A minha alma flutua,
caminho até pelo Espaço,
me aqueço nos raios do sol,
enquanto me banho nua...
É meu amor quem comanda,
com seu  gesto maneiro,
a vida desde o princípio
e o Princípio por inteiro...
É meu amor quem tempera
a languidez de um grito,
que vem do fundo da alma,
e eclode no meu infinito,
onde guardo recordações
de meu tempo mais feliz...
Este amor é tudo que quis
e agora é meu assim,
como quem nada pede,
como quem nada diz...
Mas comanda minha emoção,
abraça meu coração,
traz luz para o meu poema,
indica qual é meu lema,
me faz mulher tão feliz...
Sem ele eu morreria,
eu e minha poesia,
pois só passei a escrever
no dia que o amor conheci...
Meu amor, que vida eu teria,
se longe de ti eu vivesse?
Talvez  ainda escrevesse,
talvez meu canto rimasse,
talvez ainda encontrasse
o sonho, mas sem poesia...
Talvez visse o clarão do dia,
sem que o sol me abrasasse,
sem que  água eu tomasse,
para saciar tanta sede de amor...
Seria eu, talvez, a imagem da dor.

 
Isadora
 
publicado por SISTER às 06:13

Ser o raio de luz que te desperta todas as manhãs
Ser a melodia que embala o teu sono
Ser, na tua boca,
O gosto suave de maçã 
Ser o poeta que te canta em prosa e verso
Ser a brisa que refrigera tua alma, no calor das angustias
Ser o bálsamo que te alivia as dores
Ser a suave chuva que te refresca de modo terno
Ser o luar que te encanta nas noites de solidão
Ser o chinelo velho que aquece teus pés no inverno
Ser o mar, para em minhas águas banhar teu lindo corpo na minha imensidão
Ser o céu estrelado para te iluminar os caminhos na escuridão ... 
Ser farol para indicar o caminho em águas turbulentas
Ser passarinho canoro, para despertar-te com musica ao alvorecer
Ser teu cobertor, que aquece e envolve teu corpo nas noites friorentas
Ser enfim o teu homem, para  os desejos do corpo e da alma te satisfazer
ser para sempre
apenas e tão somente
não menos que plenamente
TEU
 

 
Jorge Linhaça
publicado por SISTER às 06:13

 

Não, não chame!
O passado não ouve
e portanto, não responde.
Se reveste em fantasma,
incólume em seus ditames..
 
Ai de quem se fiar no tempo!
Ele escorre em tons cinzentos
que até o que foi profundo, bonito,
se torna vulgar, presumido e até infame!
 
Para o horizonte volto meu olhar
e o que foi passado,
                o que foi ontem,
                              resolvo deixar.
Virou história de muitas mulheres e homens
que de lá mesmo foram embora sem reputar...
............................................................................
..................................................................
......................................................
..............................................
....................................
rivkahcohen
publicado por SISTER às 06:13

Lua nublada?
Vez em quando aparece,
quase sempre se esconde.
Madrugada de outono,
onde o silêncio enlouquece
e a cidade não dá conta
de como é feio o abandono.
Ruas desertas, esquinas vazias,
portas e janelas fechadas
e alguns poucos carros
passam e não param.
Ainda existe o orvalho,
tipo lágrima discreta.
Ainda existe a espera,
coisa estranha e inquieta.
Lua nublada?
Já foi cheia e exibida
dentro do meu quarto,
já dançou noites de insônia,
bebeu todo o meu absinto,
fez juras de amor eterno
e depois minguou.
Hoje é só nublada:
vez em quanto aparece,
quase sempre se esconde
 
NALDOVELHO
publicado por SISTER às 06:13

Duas importâncias,
mas nada, nada iguais!
Brigo contra queimadas,
           acho um absurdo
apedrejarem os pardais,
mas..
se visto pelo guarda florestal,
              é preso sem fiança,
um crime hediondo, imoral!
Mas..
se matar o guarda,
aí não,
pode responder em liberdade
ainda mais se for réu primário!!
 
Ninguém jamais vai me ver
abraçada a uma árvore.
 
Para isso acontecer,
chegar a esse extremo
foi necessário não fazer nada,
restando assistir o ato obsceno
como prova da nossa mente alienada..
 
Mas o principal ainda está por vir!
 
Nada, nada é igual a um senhor,
uma senhora para mim!
 
Nas mãos
o escapar do tempo
e é quando precisam do favor,
do carinho, de um alento
e quando ouvem os não's..
 
Não posso!
Não lhe agüento!
Não posso me atrasar!
Não tenho tempo!!
 
Mas quando tu eras novo,
de paciência se vestia;
Quando colocavas na boca
botão, rodinha, caroço,
era ele, era ela que não permitia
que tu te engasgasses!
Passos rápidos,
alcançando os teus, trôpegos!
 
Os tempos trocaram, são outros
e é assim que ages?!?
rivkahcohen
 
publicado por SISTER às 06:13

Concordo plenamente com todo o laicismo,
Assim como discordo do nacional socialismo
Ou do comunismo, comodista e arcaico…
Sou anarquista e agnóstico não laico.

 
As religiões fizeram-se para estar na igreja,
Não para suportar governos ou a deixa
De outras instituições – e a França rejubilou 
Quando o laicismo em separado conquistou.
 
Nem Marx nem Jesus: um porque era um
Teólogo fraco, outro porque morreu de jejum.
Já Nietzsche, falava de uma raça altruísta,
 
Onde o forte sobrepunha-se ao mais fraco,
Propaganda para o nazi mais barato –
Que viva o homem consciente e separatista.
 
Jorge Humberto
publicado por SISTER às 06:13

Chegar a casa e desejar-te,
Embriagado pelo teu cheiro,
E só poder, enfim, sonhar-te –
Com o que isso tem de verdadeiro –,
 
Tendo apenas uma pequeníssima parte
De um todo que se quer inteiro,
Torna-se tão mais difícil arte,
Quanto mais longe o teu cheiro.
 
Mas se a memória se sujeita
Ao dolo da vontade intransigente,
Se se obriga e nela aceita,
 
A imagem distante e verdadeira,
Terá no esforço aparente,
A sua reconciliação derradeira.
 

Jorge Humberto
publicado por SISTER às 06:13

Quis Deus que eu fosse esta fraca figura,
Que não tivesse nem terras nem empresas,
E deu-me por espinhos excessiva ternura
Com que visto as minhas muitas incertezas.

E o sono vem sempre tarde por esta altura,
Quando a partilha é solidão e reais certezas...
E o vetusto caminho, de minha candura,
É uma paisagem vazia de mãos ilesas.

Assim sou dois, o que quer e o que rejeita.
E revolta-se-me o coração, a toda a hora porvir,
A vida e com ela o amor que me enjeita.

Ah, dêem-me rosas, e um mar de calma!
Brancos braços de mulher onde dormir,
O meu desassossego, a minha alma!

Jorge Humberto

publicado por SISTER às 06:13

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





subscrever feeds
tags

todas as tags

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO