Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

27
Abr 07

Se resta o sorriso,
                   Conserve-os nos olhos,
                   Erga tua alma

                suba no barco da vida e se vá. 
                      Se as rugas marcaram cada tentativa,
                   Aceite-as
                         enfrente o mar bravio e se vá. 
                              Se os filhos ficaram em meio à tormenta,
                   Oriente-os.
                   Ame-os cada vez mais.
                   E deles NÃO se vá.
                   Filhos são eternos...
                   São parte do teu corpo.
                   Proibida a mutilação.
                   São teu porto seguro neste mundo impreciso.
                   São teus filhos. 
                   tua ligação com o mundo que ainda virá.
                   Agarre-se a eles.
                   Peça-lhes autorização para ancorar
                   E, deles, nunca se vá
Helô Abreu
publicado por SISTER às 05:40

Quando estou amando
a vida parece que se veste de vida
com roupagens vivas
e tão coloridas
 
Vejo tanta vida onde não havia
nenhuma vida
Meu coração infla,palpita e canta
meus sentimentos versam
meus sentidos rimam 
e todo meu eu com poesia se parece
sinto perfumes que nunca percebia
ouço sons que nunca ouvia
meus olhos e face brilham
 
Tudo combina,
harmonicamente
como uma sinfonia
extasiante...
 
Quando amo, me sinto vivo
sinto o pulsar do seu coração dentro de mim
voce corre pelas minhas veias
alimentando todo meu Ser
plenamente 
com seu amor
Joe'A
publicado por SISTER às 05:40

Aprendemos que quando erramos,
 
podemos consertar; que quando
 
consertamos podemos melhorar;
 
quando melhoramos, podemos inovar;
 
 quando inovamos nos superamos,
 
e superar é amar. 

                                                             André Abdalla
publicado por SISTER às 05:40

teus passos arrasam-me

arrastam-me pelo espaço
fazem de mim cacos...
trapos, retalhos rasgados...

apague de mim este clamor por ti
esta pele, estes lábios
as pegada nos sonhos
que não dissolvem
nem os retratos já desbotados
 
apague este silêncio que grita
estranhamente tão perto
quando de mim
estás sempre tão longe
e a tua sombra não mais me basta....
Maria Thereza Neves
 
publicado por SISTER às 05:40

Onde está a sabedoria que aprendi na escola?
Entrou na cabeça? Respondam-me, antes que eu esqueça!
Ou vive preparando cola? Preparando meia sola para o sapato gasto.
Aproveitei-a aquém, ou além?
Li minha própria realidade? Escrevi minha própria história?
Fui flexível? Integrei-me? Conciliei?
Troquei pneus e dei aulas ao mesmo tempo? Diversifiquei?
Aprendi a ser ética? Sei trabalhar em equipe?
 
"Tudo o que é sólido se desmancha no ar"!
Todas as verdades podem ser modificadas!
Há muitos tipos de escravidão
e muitos tipos de liberdade!
Como descobrir os caminhos, então?
Os verdadeiros valores, sem alarde?
 
Tantas perguntas, poucas respostas!
Muita investigação, muitas hipóteses!
Alguma conclusão! Uma certa abstração!
Quando generalizar e quando particularizar!?
Até onde o valor da criatividade num mundo cego de amor?
E o respeito à curiosidade seja para o que for?
 
Quanta informação! E aceitação do diferente?
Uma luta constante em busca da realização...
Muita frustração...
Sonhos que partiram e não mais voltaram...
 
Ou me encontro ou me desfaço!
Sou como alumínio ou como aço?
 
Quero encontrar minhas vertentes,
 minhas margens, meus pertences!
 
Margaret Pelicano
publicado por SISTER às 05:40

Para que nascem as manhãs em cada dia
no transparecer da luz que gera indiferença
dos perdidos na abjecção que a vida lhes legou
ecos no espaço vago bradando horas de luz...
 
Que vale o ansiar de outro Mundo, novas rotas
se o ditar do flagelo em constante adversidade
ceifa vidas e sonhos que ficam no vago,
defrauda cada infeliz com montes de palavras
em doutrinas vestidas de promessas mentirosas.
 
O nada vagueia aniquilando a vida dos infelizes
arremessados no sombrio, em qualquer canto
num badalar impuro golpeando o ventre da verdade
 emporcalhando os dias ditados em calúnia, num
 olhar rasgando sulcos que assusta cada esquina.
Ferdinando
publicado por SISTER às 05:40

Não precisas te vestires de ouro para que sejas bela
nem que desfiles, deslumbrante, em passarela.
 
Não precisas de sombras coloridas envolvendo o teu olhar,
pois teus olhos já são duas gemas a cintilar.
 
Não precisas das pompas, da gala, finas rendas
e longos babados, nem fios de prata em ricos bordados...
 
És assim, simplesmente mulher,
com a suavidade do teu canto ao acalentar o leito da tua cria,
com a doçura do teu beijo a amenizar uma dor,
com a meiguice dos gestos que acompanham
tuas palavras de amor.
 
És assim,
a fada que transforma a derrota em esperança,
a vida do sonho que o infinito busca e alcança.
És o reflexo do sol na oferta do teu colo-abrigo
e a brisa marinha a espantar as sombras do perigo.
 
Teu perfume atravessa fronteiras e jamais se perde entre tantos
porque reside no teu íntimo e se fixa nos teus encantos.
 
Então, não te escondas em atos e desacatos
nem te percas em deslizes que fogem a tua natureza.
 
Não te iguales a nada pois nada será igual a ti.
Não busques esquinas e atalhos porque luzes são vistas e seguidas
no centro das grandes avenidas.
 
Não mudes o que é da tua essência porque aí reside o teu perfume.
És mulher!
Jamais qualquer...
 Cleide Canton
publicado por SISTER às 05:40

Habitas os meus silêncios, sussurras-me esperança
e os meus olhos coloram-se de intenso arco-íris...
cores que adornam em mim tua presença...
 
E as lembranças sorriem-me com o teu olhar
semeando ternuras tuas pelo meu pensamento,
derramam estrelas de versos de teus sonhos
em nosso horizonte infindo de tanto amar.
 
Sinto teu sofrido coração clamar meu nome
que tu abraças com a doçura do teu sentimento.
Tuas preces solitárias alçam voos pelo firmamento
embaladas pela melodia das madrugadas
que eu pressinto com a candura da minha alma enamorada.
 
E tu sentes minhas lágrimas sofridas, incontidas,
que recolhes no manto orvalhado da tua poesia.
Tuas mãos  estendem -se e tocam meus lábios
que te murmuram minhas secretas saudades.
 
Na tua ausência desdobro os instantes mágicos
de nossas amadas recordações...
risos de esperança, afagos flutuantes de aurora,
perfumes inebriantes de Primavera...
que enfeitam nossa história de cristalinas emoções.
Fanny
publicado por SISTER às 05:40

Muda, nua e calada,
Isenta de sons e perfumes,
Como um sonho distante,
Como um dia sem amanhã…

Não há dor, nem prazer,
Simplesmente o silêncio dominador,
Ditador, sobre os seres e as coisas…

Não há desespero, nem esperança,
Simplesmente o nada em tudo,
Soberano sobre a imensidão do Universo…
Eis a noite…

Elegante dama, fugaz e mascarada,
Presente na ausência das horas,
No Carnaval de nossas almas anelantes,
Nos beijos invisíveis de nossos desejos
Acoitados, acalentados…

Não há hora, nem dimensão,
Simplesmente o verbo divino dos anjos,
Redentor, vibrando nos ouvidos e corações…

Não há perdão, nem esquecimento,
Simplesmente teu amor singelo e suave
Desvairando sobre os meus pensamentos
Banhados de luz…

publicado por SISTER às 05:40

Começa a chama tênue e... Lentamente cresce;
Se alastra endoidecida na folhagem seca...
Aumenta e se Alteia.... A fauna se estremece,
Ante a morte que vem, numa visão dantesca.
 
Nada pode deter o monstro incandescente,
Que prossegue implacável, indômito, alarmante,
Deixando apenas cinzas num tapete ardente,
Onde outrora se erguia a mata deslumbrante.
 
Tem-se a clara impressão que a Natureza chora,
Por sua rara fauna e exuberante flora,
Pelas fontes que secam, pelo ar que some...
 
Tudo porque em nossa sórdida incoerência,
Não vemos que, devido a nossa inconsequência,
Vamos morrer de sede, de calor, de fome.
Sá de Freitas
publicado por SISTER às 05:40

Eu sou a energia

E você o movimento

Eu sou a ousadia

Você o discernimento

 

Sou bicho sofrido que grita

Você é a fera que ataca

Eu sou a emoção que se agita

Você a razão que desata

 

Sou amor que se esparrama

Todo ele em emoção

Você é fogo em chama.

Queimando em eterna explosão!

 

Eu sou carinho e ternura

Doçura entregue em pedaço

Você é doce loucura

Que me tortura em seus braços

 

Sou alma sempre dengosa

Que se alegra no querer

Você, grandeza amorosa

É força, ação e poder

 

Eu sou a melodia

Toque sutil que acalanta...

Você é letra tardia

Poesia que me encanta!

 

Sozinha eu só improviso

E lhe digo o porque

Pra dar certo é preciso

Que haja eu e você...

 

 

 

Priscila de Loureiro Coelho

publicado por SISTER às 05:40

No místico mar... em pleno vento...
Apaixonadamente... deixo-me ficar...
Olhando as ondas.... e suas espumas...
Sentindo tua mão... minha mão afagar...
 
Sei que é fantasia... loucura... miragem...
Mas teus lindos olhos... nos meus... estão...
Teus lábios sôfregos... vorazes... beijam-me
Com ardor... sufocando minha respiração...
 
Dispara-me o coração... ouço nele... a tua voz...
- Amada minha... mulher minha... estou aqui!
De onde... eu jamais deveria pensar em sair!
A emoção me toma... sacode-me em frenesi...
 
É o vento amado meu. É o vento amigo
Trazendo-te para mim...  novamente...
Para nunca mais... choramos de saudade...
Ele nos quer juntos... juntos para sempre!
 
Meu corpo estremece ao teu contato...
Entrega-se ao teu abraço apertado...
Rodopiamos na terna e linda loucura.
Como antes...  como foi no passado...
 
Até que enfim meu amor... estamos aqui...
Nós dois... o vento... o mar... as estrelas...
É a vida que nos brinda... e sorri outra vez...
 Sangue pulsando freneticamente nas veias!...
 
Tento esquecer do meu longo calvário...
Desperto dos meus sonhos... tolos... sem fim...
Enxugo as lágrimas que teimam em cair...
E vejo-te. - É verdade! - Voltaste pra mim!...
Mary Trujillo

publicado por SISTER às 05:40

Caminhei pela vida
Buscando o seu sorriso pelas ruas
Uma alma ardente... apaixonada como a sua...
Nas tardes de verão sentia a sua mão... seu toque...
Seu cálido perfume, seu calor...ele estava ali...
Bem na minha frente...
Cantava uma suave canção de amor...
O coração pulsou forte,
Estremeceu e gritou, é ele!...
Sua canção penetrou em todo meu ser...
Se era um sonho, eu não queria acordar!
Abraça-me forte... forte....diga que não sonho!...
Ah, esses olhos de noite estrelada...
Esse sorriso escancarado e gostoso,
Essa bondade estampada em seu rosto...
Por quantas vidas busquei?!...
Quantas vezes sonhei seguir seu caminho,
Suas pegadas, ver com seus olhos,
Através deles um novo mundo conhecer...
Ver o amor simples e verdadeiro,
Esquecer que a maldade existe...
Agora sei, ele é minha vida, minha própria alma!
Com ele seguirei agora, pouco importa,
Se por vales sombrios e obscuros...
Já não temo as intempéries, tenho suas mãos
Nas minhas, seu olhar que diz fica...
Seu ombro forte, seu beijo que me aquece...
Nenhum problema me aflige ou assusta...
Quando ele chega me abraça e
Confessa, amo você!
Segura na minha mão e diz;
- Caminha sem medo, vem!...
Vou nesse caminho com ele,
prá sempre, por toda vida
e para além da vida!...

                                                                Mary Trujillo


 

publicado por SISTER às 05:40

Lambuzados de amor
embriagados de desejo
grudados qual percevejos
entregues a doce torpor
 
Não há hora ou momento
que impeça esse sentir
ou que nos faça desistir
de externar os sentimentos
 
Jorge Linhaça
publicado por SISTER às 05:40

Ah o amor, tão forte, tão frágil...
Capaz de brigar com o mundo...
De lutar contra todos... contra tudo...
Mas tão frágil como uma plantinha,
Que precisa ser regada...

Acariciada todos os dias...
Cristal tão transparente, tão delicado...
Que uma palavra, um gesto...
Pode enterrar todo um passado...
Há que se fazer dele prioridade...
Recebê-lo como um prêmio...
E amar muito... para então...
Ser amado!...
Mary Trujillo
publicado por SISTER às 05:40

 
Sei da sede das inocentes que ainda não se aplacou,
às duas crianças chorando no submundo expiatório,
mãos pedintes... Oh adultos deste violento sanatório,
para aquelas meninas, até o vaga-lume já se apagou.
 
 
Vaga a prata, metal que não chegou ao topo do lume,
vergastadas na perna fraca, ora levanta, outrora cai,
e sem um juiz, e sem o juízo, onde estão os teus pais?
Menina moça, ó bela criança envelhecida em betume.
 
 
Um papel imponente agora é a placa da hora mais jus.
E reverdecer as misérias daquelas crianças tão velhas,
chovendo as moedas ou notas dos violões em pilhérias,
pois bem; tomara que toquem o canto da chuva de luz.
 
 
Numa sexta-feira dessas quem sabe o dia há de raiar
imponente, e os olhares, hoje, perdidos em segredos,
se abrirão qual um relicário antigo, mais belo e ledo,
então, em teus olhos os vaga-lumes irão vaga-lumear.
 
 
 Sandra Ravanini
 
 
publicado por SISTER às 05:40

A minha alma indócil, acalenta flores que não tem
perde-se entre as preces e os profanos poemas
sem saber a que veio, perdida no tempo, no meio
mas é só por mais um momento...
 
A minha alma ferida, buscou incansável, explicações
mas nem tudo na vida se explica
momentos há, em que o silêncio é preciso
e nos responde quase tudo...
 
A minha alma fértil, pari poesia como coelhos
abaixa-se para furtar-se às pedras que lhe atiram
mas ao abaixar-se, deita-se mansamente
nas pétalas de rosa que outros colocaram...
 
A minha alma cansada, às vezes quer fugir
quer procurar as margens do seu estuário
deitar-se nelas, sob frondosa árvore e dormir
mas não se pode viver sem sentir...
 
A minha alma guerreira, quer lutar, lutar até o fim
mas não se sabe onde está o fim
e tenho medo, que ele chegue cedo para mim
porque ainda há tanto pra dizer...
 
A minha alma feliz, pede perdão aos céus
por se sentir assim, quando há tantos que choram
e ela sorri... insiste em sorrir em meio a tantas dores
em meio a tantos falsos amores...
 
A minha alma caridosa (que é tão pequena)
tenta lembrar-se de quem ama, sem lhe culpar
porque nem sempre quem nos fere, é negação de amar
às vezes é tão somente, provações da vida...
 
A minha alma religiosa (que está quase perdida)
não perde, entretanto, a fé em Deus e em Sua misericórdia
e recorre a Ele para enviar pensamentos de amor e paz
aos que diante de mim, mostram-me sem querer...
que sem nada ter, eu tenho muito mais!
 
Que Deus os abençoe!
 

Tere Penhabe

publicado por SISTER às 05:40

O amor em mim é intrínseco,é imenso!
É usado no amor compartilhado...
E, pela terra em que caminho
vai sendo disseminado...

 Amor é para ser usado

ternamente & eternamente!
Guardando a loucura deste sentimento
que arrebata nossas almas em paixão, e
neste amor nos envolve com tanta emoção...
 
O seu amor me leva neste mundo de sonhos, de tanto carinho, beijos, abraços,
realizando tantos desejos em meu regaço...
O seu amor ternamente,
navegado por meus mares,
em êxtase e delirante ,
deixa-me relaxada
alheia a toda razão mas, 
totalmente ligada á emoção...
 

Penhah Castro


publicado por SISTER às 05:40

No místico mar... em pleno vento...
Apaixonadamente... deixo-me ficar...
Olhando as ondas... e suas espumas...
Sentindo tua mão... minha mão afagar...
 
Sei que é fantasia... loucura... miragem...
Mas teus lindos olhos... nos meus... estão...
Teus lábios sôfregos... vorazes... beijam-me
Com ardor... sufocando minha respiração...
 
Dispara-me o coração... ouço nele... a tua voz...
- Amada minha... mulher minha... estou aqui!
De onde... eu jamais deveria pensar em sair!
A emoção me toma... sacode-me em frenesi...
 
É o vento amado meu. É o vento amigo
Trazendo-te para mim...  novamente...
Para nunca mais... choramos de saudade...
Ele nos quer juntos... juntos para sempre!
 
Meu corpo estremece ao teu contato...
Entrega-se ao teu abraço apertado...
Rodopiamos na terna e linda loucura.
Como antes...  como foi no passado...
 
Até que enfim meu amor... estamos aqui...
Nós dois... o vento... o mar... as estrelas...
É a vida que nos brinda... e sorri outra vez...
 Sangue pulsando freneticamente nas veias!...
 
Tento esquecer do meu longo calvário...
Desperto dos meus sonhos... tolos... sem fim...
Enxugo as lágrimas que teimam em cair...
E vejo-te. - É verdade! - Voltaste pra mim!...
Mary Trujillo

publicado por SISTER às 05:40

Tengo un sueño,
muy feliz y risueño...
Que es escribir una poesia
que traiga mucha alegria
después que me vaya,
a vivir en otra playa,
adonde Dios me lleve...
Quiero simplemente,
decir a toda la gente,
que hasta mi partida,
vivi una vida
siempre deseando paz y amor,
y que a nadie cause dolor
el viaje que voy hacer,
es que dejo amor y bien querer...
Y del otro lado,
quiero hacer un poema apasionado,
contando como es lo que se pasa,
cuando para el otro lado se pasa...
No sé si podré hacerlo...
Pero... seguro que lo intentaré...
Antes, por supuesto,
quiero este tango contigo bailar,
pá que sientas para siempre
la emocion de nuestro último tango...
"Si yo tuviera mi corazón",
te diré del otro lado,
que seguiré siempre te amando...
 
Marcial Salaverry
publicado por SISTER às 05:40

Quanta gente que precisa
de um abraço amigo,
para voltar ao sorriso,
quebrado num improviso...
de  um sonho acalentado,
por doce ilusão da vida...
Não, eu não posso pensar,
tão só na vida que tenho...
por isso, eu me empenho
a distribuir afeto...
Na vida, tudo é assim,
o amor é tudo enfim,
por isso, não deixe que  a vida
escorra feito fumaça,
porque cada dia que passa
é a oportunidade de amar...
É buscar fazer o bem,
sem se importar a quem,
como o Mestre ensinou...
Se o meu canto é um presente
do meu Deus, que me pressente,
por Ele devo viver...
E quem vive, dessa forma,
só procura mesmo a reforma
do seu próprio sentimento...
É tempo de meditação...
Voltar para Deus e pedir:
"se eu posso sorrir,
me ensina a todos amar,
a cada um acudir..."
 
Isadora
publicado por SISTER às 05:40

A lua é feiticeira..
Sob o feitiço da lua,
surge a musa de beleza misteriosa...
A lua surge imponente,
aparece de repente,
e nos deixa fascinados,
com pensamentos apaixonados...
Ela tem quatro fases,
todas misteriosas...
Ora com força total,
com seu brilho colossal..
Ora vai minguando,
ora crescendo, impressionando...
Ei-la agora, Nova,
o que nos prova
o poder da força divina,
que tanto nos fascina..
Cercada por estrelas brilhantes,
qual colar de diamantes...
Despertando a inspiração
dos apaixonados do mundo,
que como fosse mero vagabundo,
dormem a te olhar da rua,
sonhando com a amada toda nua...
Sempre musa, é a bela lua...
Lua feiticeira, lua misteriosa...
Marcial Saaverry
publicado por SISTER às 05:40

Para quem aos sessenta chegou,
 
e muito reclamou,
 
quero um recado deixar,
 
que a muitos vai estimular...
 
Já passei por aí, e não me falta pedaço,
 
mas espero vocês com um doce abraço...
 
É uma gostosa caminhada,
 
ainda mais, sabendo-se esperada...
 
Quando se passa dos sessenta,
 
puxam a cadeira, e nos dizem: se senta...
 
Temos caixas especiais,
 
não pagamos onibus,
 
e moramos nesta linda cidade...
 
De que mais temos necessidade?
 
Venham queridas meninas,
 
sejam espertas, sejam ladinas...
 
É uma gostosa caminhada...
 
Temos apenas necessidade
 
de curtir nossa felicidade...
 
De estarmos assim unidos,
 
amigos queridos...
 
Venham meninas, estou esperando,
 
e a todas estarei abraçando...
 
É uma porta importante,
 
mas ainda não vivemos o bastante...
 
Temos lenha para queimar,
 
e nossa vida para amar...

Marcial Salaverry

publicado por SISTER às 05:40

Em silêncio dorme a noite
Suavemente sobre o meu peito...
Por que dorme a noite?
Eu nunca me pus a pensar...
Sei apenas que dorme tranquila
Enquanto estou aqui a esperar...
 
Boa noite!
Ilze
publicado por SISTER às 05:40

Claro, podemos e devemos ser pessoas gentis e carinhosas,
e até é necessário para o "bom caminhar do mundo".
Mas isso n
ão dá o direito das pessoas se aproveitarem,
e fazer de você o que bem entender.

Nem filhos, nem pais, nem o "tal do amor" da sua vida,
principalmente os que se dizem amigos,
podem abusar da sua "permissão".

Essa história de só aparecer para pedir,
filhos que fazem chantagem emocional,
amores que só sugam as energias,
são todos
"vampiros" que você criou
e continua alimentando-os,
pois esqueceu que "DIZER NÃO"

também é amar!

Mas como falar de amor,
se você não se amar?
Como tomar atitudes amorosas
se você tem medo de perder aqueles que você julga te amarem?
Ora, se alguém te ama,
vai seguir com você sempre,
na chuva, na rua ou na fazenda,
quem ama segue, acompanha, entende,
compreende até o nosso silêncio.

Então:
reflexão...
Quem eu acredito que me ama:
ama ou usa?
estará comigo quando eu disser o primeiro não?
eu os cativo, ou comprei
com meus serviços?

Pode ser cruel
,
mas pode explicar o cansaço
que você anda sentindo, o desânimo,
essa vontade de jogar tudo para o ar...

Reflexão:
nem todo o SIM é legítimo,
nem todo NÃO é negação.
pense nisso!

Eu acredito em você.
Paulo Roberto Gaefke
 
 
publicado por SISTER às 05:40

Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO