Bem Vindos O que os homens chamam de amizade nada mais é do que uma aliança, uma conciliação de interesses recíprocos, uma troca de favores. Na realidade, é um sistema comercial, no qual o amor de si mesmo espera recolher alguma vantagem. La Ro

14
Abr 07
Certa vez eu vi uma frase interrogativa, que se lia o seguinte:
É possível alcançarmos a felicidade num mundo tão competitivo como este em que vivemos?
Depois de muito analisar e meditar sobre essa frase, cheguei a seguinte conclusão: O mundo em que vivemos é uma intrépida nova era. Em tudo existe competição e isso é bom. A competição nos leva ao aprimoramento numa amplitude ímpar, seja ela no campo profissional, educativo, comercial prático e até amoroso. A competição nos leva a querer um maior conhecimento, um zelo quase de primor com o que se conseguiu ou o que se quer conseguir, tornando-se até segredo do objetivo alcançado, para que, certamente, o adversário não saiba como se chegou ao aprimoramento daquele conhecimento.
 
No campo profissional tem maior êxito quem sabe mais, quem se aperfeiçoou melhor, quem apresenta o melhor trabalho. Isso vale para todas as áreas, quer seja profissional, educativa, cultural, comercial ou amorosa. Com certeza haverá alguém para indagar: Existe competição amorosa? Sim, eu diria que sim. Eu diria que existe competição amorosa quando o amor é verdadeiro na porfia de uma falsa amizade, ou de um amor sem objetivo, sem qualidade. Nesse caso o verdadeiro amor, apoiado na sinceridade, na verdade, na harmonia de pensamentos e nos desejos mais puros, com certeza será o vencedor, ao passo que o amor sem objetivo ou qualidade, com interesses outros, escorados no desejo impuro e no falso pudor, tende certamente a fracassar.
 
Não é fácil alguém polir o caráter quando ele já foi moldado no berço, assim como será impossível alguém manchar ou tentar se desviar da imposição bela que lhe foi feita no berçário do amor.
 
Querer melhorar na vida, ensejar hábitos sadios para garantir a saúde, zelar pelas boas amizades conquistadas, buscar acumular fortuna material ou ainda riqueza espiritual não é errado e não mancha o caráter de ninguém, mas invejar a saúde de alguém, o rol de boas amizades adquiridas e a riqueza do rico, isso sim, enodoa e empobrece a alma e o coração, por que esse é o caráter que foi depurado e forjado no cadinho da inveja, nos rincões da pobreza espiritual.
 
Vivemos numa intrépida nova era, estamos diariamente num campo de competições onde o mundo é o palco colorido de batalhas, sucessos e fracassos.
É necessário que nos acostumemos e aceitemos as competições em qualquer área, ainda que não sejamos os vitoriosos, mas o importante é que reconhecemos e entramos também nessa não menos bela porfia, desta intrépida nova era.
                       ===Edmen===
publicado por SISTER às 06:35

Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


28



tags

todas as tags

tradutor
Música
mais sobre mim
pesquisar
 
Sister online
Selo

blogs SAPO